Tino Romano/EPA/EFE
Tino Romano/EPA/EFE

Medicamento japonês acelerou recuperação de contaminados por coronavírus, diz jornal

Estudo com 340 pacientes mostrou que, entre os medicados com favipiravir, o tempo médio para que passassem a testar negativo para o novo coronavírus foi de quatro dias

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 13h01

   

Os resultados são preliminares, mas promissores. Um medicamente antiviral produzido no Japão acelerou a recuperação de pacientes chineses contaminados pelo novo coronavírus. A droga se chama favipiravir, e é comercializada no mercado japonês desde 2014 com o nome Avigan.

Segundo autoridades chinesas, um estudo feito com 340 pacientes mostrou que, entre os medicados com favipiravir, o tempo médio para que passassem a testar negativo para o novo coronavírus foi de apenas quatro dias. Entre os não tratados com a droga, esse prazo foi de 11 dias. Além disso, radiografias mostraram melhoras na condição dos pulmões de 91% dos medicados, contra 62% no outro grupo.

Os dados foram exibidos em reportagem da TV NHK, do Japão, segundo o jornal britânico The Guardian. As ações da empresa Fujifilm Toyama Chemical, que fabrica o medicamento, chegaram a subir quase 15% na  manhã desta quarta-feira.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Segundo o The Guardian, o governo japonês também testou o uso do favipiravir contra o novo coronavírus, e constatou que a droga não é efetiva quando o microorganismo já se multiplicou muito e os sintomas estão avançados.

O favipiravir é usado atualmente no tratamento de gripe. Em 2016, o medicamento foi testado no combate ao vírus ebola, com resultados positivos nos casos em que a contaminação estava em estágio inicial. 

Receba as principais atualizações sobre o coronavírus no seu email. Clique aqui e se inscreva.

Tudo o que sabemos sobre:
Japão [Ásia]gripecoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.