Medicamentos regulados pelo governo sofrerão reajuste de até 5,68%

Aumento é menor do que os registrados no ano passado; remédios de alta concorrência no mercado, fitoterápicos e homeopáticos não estão sujeitos às mudanças

26 Março 2014 | 18h43

BRASÍLIA - Medicamentos com preços regulados pelo governo serão reajustados em até 5,68% a partir do dia 31. O índice foi definido pela Câmara de Regulação de Medicamentos (CMED) nesta quarta-feira, 26, e deverá ser publicado amanhã no Diário Oficial.

A CMED determina três faixas de reajustes de preços. Classes de medicamentos na faixa intermediária terão aumento de 3,35%. O menor índice autorizado será de 1,02%. Com isso, a média ponderada das três faixas de medicamentos será de 3,53%. Os porcentuais haviam sido antecipados pelo Estado dia 12.

O aumento é menor do que os registrados no ano passado. Em 2013, o reajuste autorizado variou entre 6,31% e 2,7%, com uma média ponderada de 4,59%. Os novos preços terão de ser mantidos até março de 2015. As regras para reajuste valem para perto de 24 mil itens.

Medicamentos de alta concorrência no mercado, fitoterápicos e homeopáticos não estão sujeitos aos valores determinados pela CMED, sendo que seus preços podem variar de acordo com a determinação do fabricante.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.