Thomas Coex/AFP
Thomas Coex/AFP

Médico francês é denunciado por 'promoção indevida da hidroxicloroquina'

Apesar de a ciência não ter demonstrado efeitos benéficos do remédio contra a covid-19, Didier Raoult é conhecido mundialmente por defendê-lo no tratamento da doença

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2020 | 08h30

O médico francês Didier Raoult, mundialmente conhecido como defensor da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, foi denunciado pela Sociedade de Patologia Infecciosa de Língua Francesa (SPILF), que o acusa de uma "promoção indevida do medicamento".

Apesar de a ciência não ter demonstrado os efeitos potencialmente benéficos do remédio contra o novo coronavírus, alguns países e líderes mundiais, como o presidente Jair Bolsonaro, defendem abertamente seu uso.

"Confirmamos que houve uma denúncia ao conselho departamental das Bocas do Ródano do Colégio de Médicos, mas a SPILF não quer se manifestar sobre o assunto enquanto durar o caso", disse uma porta-voz da Sociedade na quinta-feira, 3.

Segundo o jornal Le Figaro, a SPILF critica o médico Raoult por promover a hidroxicloroquina "sem que a ciência tenha estabelecido claramente nenhum dado preciso a respeito, o que supõe uma infração das recomendações das autoridades de saúde".

"Nos perguntamos se sua postura tão contundente (...) não contribuiu para prejudicar a mensagem de prevenção na saúde pública" durante a epidemia de covid-19, diz a denúncia feita em julho e citada pelo jornal.

Contatado pela AFP, o Instituto Mediterrâneo de Infecções de Marselha, dirigido por Raoult, não se posicionou imediatamente.

A denúncia será, primeiramente, alvo de uma tentativa de conciliação. Caso não haja acordo, será julgada em uma câmara disciplinar. O caso pode durar meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.