Médicos transplantam seis órgãos em bebê na Espanha

Médicos espanhóis executaram com sucesso o transplante de seis órgãos em um bebê de um ano e meio que nasceu com câncer, anunciou um hospital de Madri. O bebê, uma menina chamada Cristina, recebeu alta e foi levada para casa por seus pais, informou o Hospital La Paz. A operação ocorreu em 25 de março, mas foi tornada pública somente ontem. Cristina foi o quarto bebê a passar por transplante múltiplo de órgãos, mas o primeiro a recuperar-se ao ponto de poder voltar para casa. Os outros três pacientes sobreviveram à delicada cirurgia, mas desenvolveram posteriormente infecções que os mataram, informou o hospital. Numa cirurgia de 11 horas de duração, os médicos de Cristina transplantaram fígado, pâncreas, intestino grosso, intestino delgado, estômago e baço. Todos os órgãos vieram do mesmo doador. "Trata-se de um transplante de máxima complexidade a partir de qualquer ponto de vista", disse Manuel Lopez Santamaria, o médico que coordenou a equipe cirúrgica. Os grandes riscos para o bebê agora são uma eventual infecção e a possibilidade de rejeição dos órgãos. A menina precisará ser submetida a tratamento durante anos. Ela nasceu com um câncer abdominal e teve problemas em diversos órgãos depois que uma artéria foi rompida durante uma cirurgia para a remoção do tumor. Com um ano e três meses, a menina pesava somente 6,5kg e recebia alimentação intravenosa. "É terrível ver sua filha sucumbir lentamente", disse Maria José García, mãe de Cristina. Ela agradeceu os pais do doador, disse que entende a dor deles e acrescentou: "A doação pode ser o primeiro passo para se salvar outra vida".

Agencia Estado,

25 de maio de 2006 | 13h23

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.