Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Médicos voltam a fazer greve nesta quarta em todo o Brasil

A categoria reivindica que o valor médio da consulta passe de R$ 30 para R$ 60

Karina Toledo, de O Estado de S. Paulo,

19 de setembro de 2011 | 20h37

SÃO PAULO - Nesta próxima quarta-feira, 21, médicos de todo o País vão paralisar novamente o atendimento a planos de saúde para reivindicar reajuste nos honorários pagos por consulta. Os atendimento de urgência não serão afetados.

A categoria reivindica que o valor médio da consulta passe de R$ 30 para R$ 60 – em alguns Estados, como São Paulo, o valor considerado ideal é de R$ 80. Pede ainda que seja incluído no contrato com as operadoras um índice de reajuste anual.

“No dia 7 de abril (quando ocorreu a primeira paralisação), nossa intenção era fazer um alerta de que a situação estava insustentável. Queríamos iniciar a negociação. Agora vamos protestar contra as empresas que se recusaram a negociar", explica Florisval Meinão, diretor da Associação Médica Brasileira (AMB). A lista das empresas incluídas vai variar de acordo com o Estado.

Em São Paulo, será suspenso o atendimento a 11 planos: Ameplan, Golden Cross, Green Line, Intermédica, Notre Dame, Prosaúde, Blue Life, Dix Amico, Medial, GEAP, Volkswagen.

Nos Estados de Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul e Tocantins, clientes de todas as operadoras serão afetados.

Veja a lista de planos suspensos nos Estados brasileiros:

Acre

UNIMED, ASSEFAZ, CASF, Caixa Econômica, CASSI, CAPESESP,  Correios, Eletronorte, Embrapa, FASSINCRA, GEAP, SESI/DR/AC, PLAN –ASSISTE e CONAB. 

Alagoas

SMILE, HAPVIDA, AMIL, UNIMED.

Amazonas

Não haverá paralisação

Amapá

SulAmérica, Amil, grupo Unidas (Plan Assiste, Geap, Fassincra, Eletronorte, Embrapa, Assefaz, Cassi, Capesaúde, Caixa Econômica, Correios, Embratel).

Bahia

Amil, Medial, Hapvida, Norclínicas/Intermédica, Life Empresarial, Geap, Cassi, Petrobrás, Golden Cross e Promédica.

Distrito Federal

Amil, Bradesco, Golden Cross e Sul América.

Ceará

Planos de saúde ainda não informados.

 

Espírito Santo

TODAS as operadoras.

Goiás

IMAS, GEAP, Golden Cross, Itaú, Mediservice e Sulamérica.

Maranhão

Todas as operadoras.

Mato Grosso

Cassi, Assefaz, Afemat, Embratel, Fassincra, Petrobrás, Eletronorte, Caixa Econômica Federal e Sam Bemat.

 

Mato Grosso do Sul

Todas as operadoras.

Minas Gerais

Todas as operadoras.

Pará

Hap Vida, Grupo Lider, Cassi (Unidas), Institutos (Ipamb, Iasep, Geap), Hospitais Militares (Policia Militar, Naval e Exército)

Paraíba

Geap, Amil, Smile, HapVida e Norclinica.

Paraná

Todas as operadoras.

Pernambuco

Viva, Ideal Saúde, Golden Cross, Real Saúde, América Saúde, Hapvida/Santa Clara e Samaritano.

Rio de Janeiro

Todas as operadoras.

Rio Grande do Norte

Não haverá paralisação

Rio Grande do Sul

Afivesc, Assefaz, Bacen, Bradesco, Cabergs, Caixa, Canoasprev/Fassem, Capesesp, Casembra, Casf, Cassi, Centro Clínico Gaúcho, Conab, Doctor Clin, ECT, Eletrosul/Elos, Embratel, Fassincra, Geap, Golden Cross , Infraero, IRB, Petrobras, Petrobras Distribuidora, Plan Assist, Proasa, Pró-Salute,  Sameisa, Serpro, Sesef, Sul América ,Unafisco, Usiminas, Wal-Mart. 

Rondônia

UNIMED, AMERON, SUL-AMÉRICA E BRADESCO.

 

Roraima

Não haverá paralisação

São Paulo

Ameplan, Golden Cross, Green Line, Intermédica, Notre Dame, Prosaúde, Blue Life, Dix Amico, Medial, GEAP, Volkswagen.

Santa Catarina

Paralisarão todas as operadoras, exceto: Assefaz, Saúde Caixa, Capesesp, Cassi, Celos, Correios Saúde, Conab, Eletrosul, Embratel, Elos Saúde, Fassincra, Cooperativas Médicas, Funservir.

Sergipe

Paralisarão todas as operadoras, exceto: ASSEC/CEHOP, ASSEFAZ, CAGIPE, CAMED, CAPESESP, CASEC, CASEMBRAPA, CASSE, CASSI, CASSIND, ECT, Embratel, FACHESF, FASSINCRA, PASA, Petrobras, Petrobras Distrib., PLAN-ASSISTE, PROASA, Saúde Caixa e SESEF.

Tocantins

Todas as operadoras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.