Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Medidas para isolar variante indiana já foram tomadas, diz ministro da Saúde

Queiroga disse manter contato com secretário do Maranhão, onde caso foi identificado, mas lembrou que fenômeno não obedece leis exatas

Reuters, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2021 | 16h58

BRASÍLIA  - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta sexta-feira que todas as medidas sanitárias já foram tomadas para isolar a variante indiana do coronavírus identificada no Maranhão, mas lembrou que o fenômeno biológico não obedece leis exatas e necessita de todo o cuidado.

O ministro disse que mantém conversas com secretários estaduais de Saúde e principalmente, no momento atual, com o secretário do Estado do Maranhão, Carlos Lula.

"O importante é dizer que a vigilância em saúde no Brasil, ela é muito boa. Esse caso foi detectado prontamente, todas as medidas sanitárias foram tomadas e nós esperamos que não haja uma propagação dessa variante indiana aqui no Brasil", disse o ministro a jornalistas, enquanto visitava uma fábrica de insumos veterinários com potencial para eventualmente produzir vacinas contra a Covid-19 no interior de São Paulo.

"Foi confirmado em São Luís, esses casos foram isolados, tanto os pacientes como os seus contactantes. A detecção é no Maranhão, então o secretário Carlos Lula, que é o secretário de Saúde do Estado do Maranhão, está em contato permanente conosco, para que tenhamos a condição de isolar essa variante e ela não se propague para o Brasil."

"Mas é um fenômeno biológico, que não é matemático. É preciso que tenhamos os cuidados", alertou.

A Secretaria de Saúde do Ceará informa, em comunicado oficial publicado nesta sexta-feira em sua página, que o órgão recebeu em 17 de maio notificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre um caso suspeito da variante indiana da Covid-19 em Fortaleza.

No dia seguinte, já foi realizada visita técnica ao local de isolamento do viajante, que desembarcou de avião vindo da Índia no dia 9 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.