Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Sanofi Medley recolhe remédios com losartana, utilizada contra pressão alta e insuficiência cardíaca

Medida foi tomada após serem encontradas nos comprimidos algumas impurezas que podem causar mutações e aumentar o risco de câncer

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2022 | 16h49
Atualizado 10 de março de 2022 | 21h07

A empresa farmacêutica Sanofi Medley anunciou que vai recolher do mercado todos os lotes de remédios com princípio ativo losartana, que é utilizado contra pressão alta e insuficiência cardíaca. A medida foi tomada após serem encontradas nos comprimidos algumas impurezas que podem causar mutações e aumentar o risco de câncer.

"Até o momento, não existem dados para sugerir que o produto que contém a impureza causou uma mudança na frequência ou natureza dos eventos adversos relacionados a cânceres, anomalias congênitas ou distúrbios de fertilidade. Assim, não há risco imediato em relação ao uso dessas medicações contendo losartana", informou a empresa.

A farmacêutica reforçou ainda que as pessoas que estão sob tratamento precisam ter cuidado em interromper a medicação. "O risco para a saúde de descontinuar abruptamente estes medicamentos sem consultar os seus médicos ou sem um tratamento alternativo é maior do que o risco potencial apresentado pela impureza em níveis baixos", explicou.

O médico Elcio Pires Junior, coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro - Rede D’or - Osasco, explica que a losartana é uma das drogas de primeira linha para o combate à hipertensão e também para insuficiência cardíaca. “Ela é usada pelo SUS e é um inibidor da angiotensina II, fazendo uma vaso dilatação nas artérias do corpo, diminuindo a pressão e a retenção de líquidos. É uma droga de extrema valia atualmente e o uso dela é muito difundido o Brasil”, diz.

Os lotes dos seguintes remédios estão sendo recolhidos:

  • Valtrian® HCT (losartana potássica + hidroclorotiazida) 50mg + 12,5mg
  • Valtrian® HCT (losartana potássica + hidroclorotiazida) 100mg + 25mg
  • Valtrian® 50mg (losartana potássica)
  • Valtrian® 100mg (losartana potássica)

“Esses lotes têm um contaminante com potencial mutagênico, podendo assim ter algum tipo de evolução para o paciente e que poderia gerar alguns casos de câncer. O cuidado que o paciente deve ter é não utilizar essas medicações citadas, desta marca, neste momento. A própria Medley já está retirando de circulação e quem tiver essas medicações compradas recentemente é só realizar a troca por outras medicações”, afirma o médico.

A Sanofi Medley lembra que a atitude é uma medida preventiva e está ocorrendo também em outros países. A intenção é retirar preventivamente de circulação para poder ajustar o IFA (ingrediente farmacêutico ativo) do produto. Ela informa ainda que o recolhimento não apresenta nenhum custo para o paciente e quem tiver algum lote do remédio em casa pode agendar a coleta pelo SAC 0800-703-0014 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h).

Membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro internacional da The Society of Thoracic Surgeons dos EUA, Elcio Pires Junior avisa que em caso de dúvida o paciente deve procurar seu médico. “Antes de qualquer parada de uso de medicação, consulte seu médico. O que tem sido preconizado é que apenas se troque a marca da substância, podendo continuar usando o remédio. Temos diversas outras marcas de losartana no Brasil e isso não será problema”, conclui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.