Medo da gripe suína chega aos megafestivais nos Estados Unidos

Jovens usam máscaras para evitar o contágio da doença em meio ao 40º Festival de Jazz de New Orleans

Jotabê Medeiros, de O Estado de S. Paulo,

02 Maio 2009 | 22h54

Apenas um caso de suspeito de portar a gripe suína foi registrado até agora no Sul dos Estados Unidos, na Louisiana. Trata-se de um garoto de 8 anos que está sendo examinado no hospital das clínicas da Tulane University, em New Orleans. Mas os megafestivais de música que agitam esse verão americano já têm garotos mostrando cuidados públicos com a doença, embora sejam pouquíssimos.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

Na tarde deste sábado, durante o 40º Festival de Jazz de New Orleans, um dos maiores dos Estados Unidos, jovens usavam máscaras para evitar o contágio da gripe suína no meio da plateia, durante show do grupo de rock Kings of Leon. A banda liderada pelos irmãos Followill é uma das mais populares da temporada nos Estados Unidos. O Festival de New Orleans já registrou até 160 mil pessoas num único dia de shows (é realizado durante 7 dias, em dois finais de semana).

 

O JazzFest, como é mais conhecido, teve esse ano shows de Wilco, Bon Jovi, Bonnie Raitt, Aaron Neville e a banda So What, que recupera no palco o repertório do disco Kind of Blue, gravado pela banda de Miles Davis há 50 anos. O show vem ao Brasil no final deste mês, e é destaque do Bridgestone Music Festival. no Citibank Hall.

 

Apesar do cuidado mostrado pelos garotos da plateia do JazzFest, a cautela com a doença, que tem se espalhado rapidamente pelo mundo, não é regra nos Estados Unidos. No aeroporto de Miami, de grande circulação de pessoas de países com alta incidência da doença, demonstra-se pouquíssimo cuidado com a proliferação da gripe suína. Apenas poucos viajantes usam máscaras. Os agentes de fronteira americana recomendam lavar as mãos após usar os aparelhos de reconhecimento das digitais, que é tocado por todos os viajantes.

Mais conteúdo sobre:
Gripe SuínaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.