Marcelo Chello/Estadão
Marcelo Chello/Estadão

Medo, esperança e planos marcam primeiro dia de vacinação para idosos acima dos 90 em SP

Público que compareceu à UBS de Santo Amaro conta expectativa para reencontrar familiares, fazer compras e até tomar cerveja após imunização

João Ker, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2021 | 12h28

O prefeito Bruno Covas (PSDB) participou na manhã desta sexta-feira, 5, do primeiro dia de vacinação contra a covid-19 em idosos acima dos 90 anos, em uma Unidade Básica de Saúde do Santo Amaro. Inicialmente programada para começar na próxima segunda-feira, 8, a imunização desse grupo foi adiantada e deve cobrir uma população média de 33 mil pessoas.

"Eu falei que ia me esconder porque não queria tomar vacina, o povo estava dizendo que eu ia morrer", conta Maria Carolina Biaggio, de 102 anos. Ela compareceu acompanhada da neta à UBS usando uma máscara de proteção facial estampada com uma fotografia da família e diz que agora confia "no pessoal que faz a vacina". "Vi muita gente doente, muitos conhecidos morreram e dois filhos meu pegaram [a covid] também. Agora é só esperar a segunda dose."

Juntos há 61 anos, Ana e Joaquim da Silva Santos foram tomar a vacina de mãos dadas e acompanhados da filha. Tanto ele, de 91 anos, quanto ela, de 93, se dizem mais tranquilos agora que receberam a primeira dose da Coronavac. "Agora não tem mais tanto perigo, né? Antes, eu tinha sempre receio de pegar alguma coisa. Não aguento mais ficar em casa, tô louca pra sair na rua livremente, ir ao supermercado", conta Dona Ana, sorrindo. 

Ali na fila, Aurelina Letia da Silva, de 91 anos, só conseguia definir o alívio de se vacinar com um sentimento: "Muita esperança. É isso que estou sentindo. Essa é uma doença muito triste, né? Quantos amigos e irmãos a gente já não perdeu...", diz emocionada. Ao lado dela, uma outra senhora de 90 anos, que não quis se identificar, diz à filha que estava com medo de tomar a vacina, mas não vê a hora de "tomar uma cervejinha" após a aplicação.  

Além do atendimento no interior da UBS, funcionários estavam levando doses até a calçada para aplicar em idosos que não conseguiam se locomover e aguardavam dentro dos carros, mesmo este não sendo um dos cinco pontos oficiais de drive-thru anunciados pela Prefeitura. 

Com o pai de 93 anos no banco do passageiro, Darcy Nobile Junior, de 62, conta que o pai costuma ser vacinado assim desde as campanhas de imunização para H1N1. Agora, vacinado contra a covid-19, ele comemora que poderá comparecer ao casamento da neta, marcado para o próximo dia 20.

Apesar da fila e até aglomerações que foram vistas na UBS de Santo Amaro nesta manhã, o clima na unidade de Paraisópolis era o oposto. Entre as 7h e o meio-dia, apenas uma pessoa, Josefa Maria da Conceição, de 93 anos, havia comparecido ao local para se vacinar. Ja em Santa Cecília, o movimento de carros na calçada e idosos no interior da unidade foi constante desde o início do dia. 

"Vou sair daqui e ir direto para a sapataria comprar um sapato! Não aguentava mais ficar presa dentro de casa, andando descalça o dia inteiro", comenta Regina Maluf, de 92 anos. Com os olhos marejados, ela conta de dentro do carro, onde recebeu a vacina, que esteve "presa dentro de casa" desde que a pandemia começou e comemora a chegada da vacina. "Eu estava ansiosa já, não achei que fosse tão rápido. Agora é só alívio e felicidade, plena e absoluta. Vou finalmente rever os amigos, a família e os netinhos."

Também na UBS de Santa Cecília, Renata Batista de Morais comemora a rapidez com que recebeu a vacina e já se diz pronta para tomar a segunda dose. "Tive toda essa preocupação de vir aqui e não deu tempo nem de ocupar uma cadeira", diz a senhora de 97 anos, comentando que não sentiu medo, mas sim pressa de ser vacinada. "Fiquei muito tempo dentro de casa. Agora, se eu sair na rua, pelo menos saio despreocupada.   

A segunda aplicação em idosos acima dos 90 anos que receberam a primeira dose hoje está programada para começar no próximo dia 20. Antes disso, no dia 10, recebem a segunda aplicação aqueles que participaram da primeira fase, iniciada em 17 de janeiro. De acordo com administração municipal, serão 230 mil doses utilizadas.

Ainda na próxima terça-feira, 9, o calendário municipal passa a imunizar todos os profissionais de saúde autônomos, acima dos 60 anos e que não estiveram na linha de frente do combate à pandemia. A vacinação estará disponível nas 468 UBSs do município e nos cinco pontos de drive-thru do município odontólogos, enfermeiros, técnicos auxiliares, biólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, dentre outros.

De acordo com a Secretaria de Saúde, a previsão é de que a capital paulista comece a vacinação em massa ainda no início do segundo semestre deste ano. A próxima etapa da imunização, que começa no dia 15 e abrange idosos entre 85 e 90 anos, também pode ser antecipada, caso o Município consiga receber e distribuir as doses antes do previsto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.