Memorização é o melhor processo de aprendizagem, diz pesquisa

Alunos que decoraram conteúdo tiveram vantagem de 50% de acerto sobre os que usaram método do mapa conceitual

estadão.com.br,

24 Janeiro 2011 | 15h26

SÃO PAULO - Talvez todos os seus professores estejam errados. Segundo uma recente pesquisa da Universidade de Purdue, descrita na última edição da revista Science, decorar conteúdos parece ser o melhor método de aprendizagem.

 

Veja também:

linkEscrever à mão melhora o processo de aprendizagem, aponta estudo

linkLembranças são reforçadas enquanto dormimos, descobre pesquisa

link Cochilo de seis minutos pode melhorar memória, diz estudo

link Uma hora de sesta pode deixar as pessoas mais inteligentes

link Falta de sono reduz capacidade de aprendizado do cérebro

 

Os pesquisadores comprovaram que a memorização deve fazer parte do processo de aprendizagem, ao contrário das práticas da pedagogia moderna. Atualmente, baseados em conceitos trazidos grande parte pelo construtivismo, os educadores incentivam os alunos a construírem o conhecimento através de rotinas elaboradas de estudo voltadas à melhoria da codificação da informação na memória.

 

Os métodos modernos incentivam os chamados "mapas conceituais", nos quais os alunos constroem diagramas ligando conceitos e construindo ligações entre ideias. Já pelo método da memorização, o estudante, depois de ler todo o material, deixa de lado o texto e tenta ver o que consegue lembrar (muitas vezes repetindo os conceitos até memorizá-los ou usando técnicas como a fixação mnemônica).

 

Os pesquisadores testaram ambos os métodos pedindo para que um grupo de 200 alunos estudasse matérias de diferentes ciências metade usando o método da memorização e a outra metade usando o método do mapa conceitual.

 

Depois de um período inicial de estudo, os dois grupos lembravam a mesma quantidade de informação. Mas quando os estudantes voltaram ao laboratório para uma avaliação de longo prazo, o grupo que usou a memorização apresentou uma melhor retenção de 50% em relação ao grupo dos mapas conceituais.

 

Para os pesquisadores, os dados comprovam que, embora não haja nada de errado com as técnicas elaboradas de aprendizado, é importante considerar abrir espaço para a prática da memorização. Segundo a equipe, o desafio agora é encontrar maneiras mais eficientes e viáveis para a retenção de informações.

Mais conteúdo sobre:
educação memória

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.