Merck faz oferta hostil para comprar rival Schering

A indústria farmacêutica alemã Merck fez uma oferta hostil para comprar a sua rival, a também alemã Schering. Segundo um comunicado divulgado pela Schering ontem, a Merck se propôs a pagar 77 (US$ 91,78) por ação da companhia. Depois que a informação sobre a abordagem da Merck se tornou pública, a Schering divulgou um curto comunicado dizendo: "O conselho executivo da Schering acredita que a oferta (da Merck) subestima significativamente o valor da empresa e suas perspectivas como uma indústria farmacêutica independente." Apesar de a Schering não ter caracterizado a oferta como hostil, a companhia afirmou que "a oferta não foi solicitada e não há negociações em andamento com a Merck." O comunicado não dava maiores detalhes e o porta-voz da Merck, sediada na cidade de Darmstadt, não estava disponível para comentar. O presidente da Schering, Hubertus Erlen, disse esperar que a Merck detalhe sua oferta hoje. Ele se mostrou insatisfeito com os valores propostos. "Não vamos recomendar aos acionistas que aceitem a oferta", disse Erlen à agência Dow Jones. Atualmente, a Schering vale I 12 bilhões (US$ 14,3 bilhões) e a nova companhia Merck-Schering teria um valor de mercado de cerca de I16 bilhões (US$ 19,07 bilhões). De acordo com um relatório publicado pela versão online da revista alemã Manager, os cerca de 130 membros da família Merck, que são donos de 73% da empresa, iriam fazer uma oferta pública de 20% de suas ações na bolsa de valores e usar esses recursos, mais I 2 bilhões (US$ 2,38 bilhões) em dinheiro, para comprar a Schering. Os restantes 27% da Merck já são negociados na bolsa. Há muito tempo circulam especulações a respeito de uma possível fusão da Schering com a Merck ou a Altana, outra indústria farmacêutica da Alemanha. Mas o diretor-financeiro da Schering, Joerg Spiekerkoetter, tentou abafar esses rumores no mês passado, dizendo que "nenhuma das duas companhias faz sentido estratégico para nós". Fundada em 1851 como uma farmácia, a Schering se transformou em uma corporação que emprega 24.500 pessoas no mundo todo. A sede da Schering fica em Berlim. A ligação entre a Schering e sua antiga subsidiária americana, a Schering-Plough, foi rompida durante a Segunda Guerra Mundial e as companhias não são mais relacionadas. A Merck também começou como uma farmácia, mas em 1668. A empresa é a mais antiga indústria farmacêutica do mundo. A Merck emprega cerca de 29 mil funcionários. A empresa está completamente dissociada da Merck & Co, sediada em New Jersey, nos Estados Unidos, desde o fim da Primeira Guerra Mundial.

Agencia Estado,

13 de março de 2006 | 14h00

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.