Mercúrio poderá ser visto da Terra antes da missão da Nasa

Agência espacial americana vai enviar a sonda Messenger para a órbita de Mercúrio na próxima quinta-feira

estadão.com.br com AP,

11 Março 2011 | 15h52

SÃO PAULO - Na próxima quinta-feira, 17, a sonda Messenger vai entrar pela primeira vez na órbita de Mercúrio. Antes disso, as pessoas na Terra terão a oportunidade de observar o planeta a olho nu. A posição de Júpiter vai ajudar a localizar Mercúrio.

Veja também:

link  Nasa cogita explorar Titã, lua de Saturno

link Sonda da Nasa se aproxima da órbita de Mercúrio

Pouco maior que a lua, mas bem mais distante, ele normalmente é difícil de ser visualizado sem um telescópio, mas a partir de domingo as pessoas que estiverem no hemisfério norte terão uma chance de encontrá-lo olhando para o oeste após o pôr do sol. Júpiter estará a 10º acima da linha do horizonte. Mercúrio, então, estará a distância de um dedo à direita. Para Geoff Cheste, do Observatório Naval de Washington, esta será a melhor oportunidade para se observar Mercúrio durante este ano.

No que diz respeito ao Messenger, a sonda irá orbitar o planeta por um ano. Os investimentos nesta missão somam US$ 446 milhões. Vários cuidados foram tomados com as condições especiais que a sonda encontrará por lá. Por exemplo, ela terá que evitar a força que a puxará em direção ao sol. Altas temperaturas deverão derreter algumas partes de instrumentos utilizados na Messenger, partes estas que foram especialmente desenvolvidas para bloquearem o calor antes que cheguem a partes mais sensíveis. Estas partes depois irão se resfriar assim que entrarem em contato com zonas de temperaturas mais brandas, de acordo com informações divulgadas por Eric Finnegan, chefe do sistema de engenharia da Messenger.

Jean-Luc Margot, um dos cientistas da missão, acredita que será possível coletar muitos dados que ajudarão os astrônomos a entenderem melhor os mistérios geológicos de Mercúrio, como o seu surpreendente magnetismo e densidade incomum. "Esta será nossa primeira olhada de perto neste planeta enigmático", disse o cientista.

Mais conteúdo sobre:
Nasa Messenger espaço

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.