Metade dos interessados em teste de HIV tem parceiro fixo

A pesquisa mostrou ainda que homens procuraram mais o serviço do que as mulheres

da Redação,

17 de setembro de 2008 | 16h49

Um levantamento realizado pela Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo durante a Campanha Fique Sabendo aponta que metade das pessoas que ligaram para o Disk-Aids em busca de um local para realizar o teste de HIV têm parceiro sexual fixo.  A campanha foi feita entre os dias 25 de agosto e 5 de setembro, com o objetivo de incentivar os testes de HIV. Das 1.940 ligações ao serviço telefônico do Centro de Referência e Treinamento Aids, 981 ou 50,6% delas foram feitas por pessoas que disseram ter parceiros fixos.  Segundo o estudo, 31,6% (614) das ligações foram realizadas por pessoas que se declararam casadas ou que viviam com o parceiro. A grande maioria das ligações foi feita por pessoas solteiras (1.028). Das 1.940 recebidas durante a campanha, 1.931 (99% delas) tiveram como finalidade encontrar um local para realização do teste de HIV. Segunda a coordenadora estadual do Programa de DST/Aids, Maria Clara Gianna, a campanha colaborou para que as pessoas pensassem sobre o assunto e questionassem se o fato de ter apenas um parceiro as eximia do risco da doença. "A história de vida de cada um pode motivar a procura pelos testes, mas sem dúvida a conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce também pode incentivar a população", afirma a coordenadora. A pesquisa mostrou ainda que homens procuraram mais o serviço do que as mulheres. Foram 999 ligações de pessoas do sexo masculino homens (51,5% do total) contra 941 de mulheres (48,5%).  Os interessados em realizar o exame podem procurar o Centro de Referência e Treinamento Aids, órgão da Secretaria de Estado da Saúde, localizado na Rua Santa Cruz, 81, Vila Mariana ou ligar para o Disk DST/Aids (0800-162550) e se informar sobre os Centros de Testagem mais próximo, na capital ou interior do Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdeHIV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.