México estima 159 mortes, mas só confirma sete

Redução no número oficial de mortes, de 20 para 7, ocorreu após a realização de exames

da Redação,

28 Abril 2009 | 19h51

As autoridades mexicanas, com base em resultados de exames feitos em laboratórios americanos e canadenses, rebaixaram de 20 para sete o total de mortes por gripe suína no país, e disseram que os outros 13 óbitos serão objeto de novas análises.

 

Veja também:

especial Especial: Mapa da gripe suína

link Especialista pede cuidado com números da gripe suína

link Anvisa vai inspecionar voos de mais 3 países infectados

link Lula pede que não se faça 'terrorismo' com gripe suína

link Obama pede US$ 1,5 bi contra gripe; CDC espera mortes

 

De acordo com o Ministério da Saúde do México, o número de mortes no país possivelmente causadas pelo gripe suína é de 159.

 

"Das mortes que estudamos até este momento, foi confirmado que somente sete" foram provocadas pelo "vírus suíno", disse o diretor-geral do Centro Nacional de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças, Miguel Ángel Lezana.

 

Em comparação com os números divulgados por autoridades sanitárias locais, os números oficiais da Organização Mundial da Saúde (OMS) de casos cientificamente confirmados da doença são, em geral, bem inferiores. A exceção são os Estados Unidos, onde as autoridades locais falam em até 65 casos, e o dado confirmado pela OMS é de 64.

 

Segundo a OMS, sete países têm, oficialmente, a doença. Os casos confirmados são: 26 no México, com sete mortes; 65 nos EUA, sem mortes; treze no Canadá, também sem mortes; três na Nova Zelândia, dois no Reino Unido, dois em Isarel e dois na Espanha, todos sem mortes.

 

(Atualizada às 23h42)

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.