Reuters
Reuters

México volta à atividade após cinco dias parado por gripe

Na semana passada, o governo ordenou a suspensão das atividades em todos os setores não essenciais

Reuters,

06 Maio 2009 | 13h28

A capital mexicana começou a voltar à normalidade nesta quarta-feira, com as ruas novamente engarrafadas e vendedores de tacos oferecendo seus produtos nas calçadas, após as autoridades terem encerrado os cinco dias de recolhimento decididos para tentar conter o vírus da gripe H1N1.

 

Veja também

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde  

 

Seguranças numa torre comercial fizeram os funcionários de escritórios passar por um aparelho detector de calor, para averiguar se apresentavam febre - um dos sintomas da gripe - no retorno ao trabalho.

 

Na semana passada, o governo ordenou a suspensão das atividades em todos os setores não essenciais, para prevenir a contaminação pelo vírus. A Cidade do México praticamente parou.

 

A rede de transportes públicos passou a desinfetar moedas para prevenir a difusão do vírus, que contém RNA típico de vírus aviários, suínos e humanos.

 

Mesmo assim, alguns mexicanos estavam receosos com a volta à vida pública normal.

"Sim, estou com medo de voltar ao hospital. Trabalho no pronto-socorro, e o risco de contágio é grande", disse a estudante de medicina Nadia Zamora, de 21 anos.

 

O número de mexicanos mortos pelo novo vírus da gripe subiu para 42, e a morte de uma mulher no Texas esta semana elevou para dois o número de mortos nos Estados Unidos.

 

As escolas mexicanas, no entanto, continuam fechadas como precaução contra a gripe.

Os restaurantes e cinemas estão reabrindo, mas com a exigência temporária de espaço adicional entre os clientes.

 

A crise provocada pela gripe pode fazer o PIB mexicano cair entre 0,3 e 0,5 ponto porcentual, disse na terça-feira o ministro das Finanças mexicano, Agustin Carstens.

 

Muitas pessoas estavam ansiosas por sair de suas casas, onde passaram boa parte dos últimos cinco dias.

 

"Não há receio em relação à reabertura das escolas. Estamos ansiosos por voltar. Já perdemos muitas aulas", disse a estudante de psicologia Ericka Vela, 28 anos.

Mais conteúdo sobre:
gripe suínainfluenza A(H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.