Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Militares trabalham na fabricação de máscaras, toucas e aventais

Material será doado às instituições que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus no Rio Grande do Norte

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2020 | 20h01

Depois de trabalharem pelo aumento da produção de álcool em gel e de cloroquina, em suas unidades, militares das Forças Armadas estão trabalhando na confecção de máscaras de tecido, toucas e aventais descartáveis, para a proteção de suas tropas, para prevenção contra o coronavírus.

O Parque Regional de Manutenção da 3ª Região Militar do Exército, localizado em Santa Maria (RS), está produzindo cerca de 200 máscaras por dia. Em Curitiba, outro quartel também adquiriu insumos e está fabricando cerca de 300 máscaras por dia e, nos próximos dias, espera dobrar a produção.

Os militares estão recebendo instrução do Instituto Senai de Inovação em Energias Renováveis para confeccionar máscaras de proteção em acrílico. O material será doado às instituições que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus, no Rio Grande do Norte.

Cerca de 25 mil homens das Forças Armadas estão sendo empregados em todo o País, usando 60 embarcações, 800 viaturas e 26 aeronaves. Além de trabalharem na produção de equipamentos, as Forças Armadas estão ajudando na arrecadação de alimentos para famílias de baixa renda, impedidas de trabalhar pelo isolamento social, capacitação de militares para desinfecção de espaços públicos, doação de sangue e transporte de materiais de saúde.

Nesta segunda-feira, por exemplo, a Aeronáutica transportou respiradores hospitalares, vacinas e material de saúde para Palmas (TO), Macapá (AP) e Belo Horizonte (MG). No Rio de Janeiro (RJ), militares doaram sangue para reforçar os estoques do Hemorio. Em Ponta Grossa (PR), o Comando Conjunto Sul coordenou campanha de doação de sangue, contribuindo para o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná.

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusForças Armadas do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.