Washington Alves/Estadão
Washington Alves/Estadão

Minas decreta calamidade pública e fecha divisas

Texto foi encaminhado para a Assembleia; governo diz que medidas valerão a partir de segunda-feira, 23

Leonardo Augusto, Especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2020 | 22h54

BELO HORIZONTE - O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), decretou nesta sexta-feira, 20, o fechamento das divisas de Minas Gerais para o trânsito de ônibus e vans de passageiros como forma de deter a propagação do novo coronavírus. Com a decisão, esses veículos não entram nem saem do Estado. O transporte individual "ainda" não foi restrito, segundo o governo. De acordo com o Palácio Tiradentes, o "transporte de cargas nunca será restringido, de forma a garantir o abastecimento. Já o transporte aéreo é de competência do governo federal".

O decreto que fecha Minas para o transporte de passageiros estabelece ainda estado de calamidade pública. Com a medida, segundo o Estado, o governador passa a ter "prerrogativa para atuar junto aos municípios". Passa a existir agora, também conforme o Palácio Tiradentes, "obrigação para que prefeituras sigam regras do Governo do Estado". O texto foi encaminhado para a Assembleia, no entanto, o governo afirma que já começa a valer na "primeira hora da próxima segunda-feira, 23".

Outro ponto previsto diz respeito aos ônibus intermunicipais, que "só poderão rodar com metade da capacidade". Os que trafegam dentro das cidades e os rurais terão que respeitar a capacidade de lotação de passageiros sentados. 

"Com essas medidas espero minimizar o avanço da doença em Minas Gerais. Mineiros e mineiras, evitem transitar nas ruas. Fiquem em casa. Não permitam que o coronavírus se alastre. Vamos passar por dias difíceis. Mas conseguiremos nos reerguer. Hoje, minha prioridade são as vidas. Vamos preservá-las!”, afirmou Zema.

O decreto proíbe o funcionamento do comércio em todas as cidades mineiras. "A exceção são os estabelecimentos que vendem produtos ou prestam serviços essenciais, como padarias, supermercados e farmácias", diz a administração Zema. As escolas também permanecem fechadas, sem aulas. O decreto determina a extensão da medida não apenas para as estaduais, mas as municipais e da rede privada. Em Belo Horizonte, as escolas já estão paradas. Minas Gerais tem confirmados hoje 38 casos do coronavírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.