Minas Gerais interdita lotes de Xylestesin

A Vigilância Sanitária de Minas Gerais interditou dois lotes do anestésico Xylestesin, do laboratório Cristália, após encontrar problemas na composição do produto. O laboratório disse que só vai se pronunciar depois de ser informado oficialmente da decisão. Nesta semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou outro anestésico, o cloridrato de lidocaína da empresa Hipolabor, suspeito de ter provocado duas mortes. Ambos os anestésicos têm o mesmo princípio ativo.

Agencia Estado,

24 de março de 2006 | 09h31

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.