AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Ministério da Saúde confirma caso de febre amarela em Goiás

Paciente, um estrangeiro, contraiu doença em Alto Paraíso, mas sintomas só se manifestaram quando ele chegou ao Rio; governo considera infecção isolada

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

12 de fevereiro de 2015 | 19h49

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira, 12, um caso de febre amarela silvestre no País. O paciente, um estrangeiro, contraiu a doença em Alto Paraíso, em Goiás. Ele visitou a região dia 17 de janeiro, mas somente passou a manifestar sintomas ao chegar no Rio. Ele foi diagnosticado numa Unidade de Pronto Atendimento e encaminhado para a Fundação Oswaldo Cruz, onde recebeu tratamento. Ele já teve alta.

O ministério considera o caso isolado. O paciente que contraiu a doença não havia sido vacinado. Os últimos casos de febre amarela silvestre confirmados no País foram em 2013. Também naquela época, os pacientes não haviam sido vacinados. 

Embora considere o caso isolado, o Ministério da Saúde informou que a vigilância foi reforçada na região de provável contaminação do paciente estrangeiro. Também foi ampliado o esforço para imunizar pessoas da região que eventualmente não tenham o completo esquema vacinal contra febre amarela.

A febre amarela silvestre é transmitida pela picada de mosquito contaminado. Algumas áreas do País, como a Região Amazônica e o Centro-Oeste, são consideradas endêmicas. A recomendação do ministério é que habitantes dessas regiões sejam vacinados. O mesmo vale para visitantes de áreas de risco. Eles devem tomar a vacina pelo menos 10 dias antes da viagem. O imunizante tem validade de dez anos. 

Em 2014 as recomendações da vacina para febre amarela foram atualizadas. No novo protocolo, crianças que completaram o esquema vacinal na infância não precisam fazer reforço a cada 10 anos. Aqueles que tomaram a primeira dose na adolescência ou fase adulta, precisam repetir a vacina apenas uma vez. Com duas doses, com intervalos de dez anos, a pessoa é considerada imunizada para toda a vida.

Tudo o que sabemos sobre:
Febre amarela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.