Sergio LIMA / AFP
Sergio LIMA / AFP

Ministério da Saúde evita comentar campanha de Bolsonaro e defende isolamento

País tem 92 mortes e 3.417 pessoas infectadas pelo coronavírus

André Borges e Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2020 | 18h28

BRASÍLIA – O Ministério da Saúde evitou nesta sexta-feira (27) fazer comentários sobre o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro, que divulgou uma campanha para defender o retorno das pessoas às suas atividades, quando o número de mortes no País chega a 92 pessoas, além de registrar 502 novos casos de contaminação nas últimas 24 horas, chegando a 3.417 pessoas.

“Nós não vamos fazer nenhuma análise do discurso do presidente”, disse o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis. Por outro lado, Gabbardo reforçou a orientação de que as pessoas devem permanecer em isolamento.

“Idosos devem ficam em isolamento. Familiares dessas pessoas devem ficar em isolamento. Todos nós devemos reduzir a circulação para evitar aglomerações. Essas medidas em nada foram modificadas e devem continuar sendo as mesmas”, comentou.

Até o momento, os Estados que já registraram mortes pela covid-19 são: São Paulo (68), Rio de Janeiro (10), Pernambuco (4), Ceará (3), Rio Grande do Sul (2), Paraná (2), Amazonas (1) e Goiás (1), Santa Catarina (1).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.