Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Ministério da Saúde garante programa de imunização quando criarem vacina contra a covid-19

Dos 5.570 municípios brasileiros, 3.270 (58,7%) já registraram casos de covid-19, informou o Ministério da Saúde, e 1.220 cidades (21,9%) tiveram mortes em decorrência do novo coronavírus

Ludimila Honorato e Sandy Oliveira, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2020 | 20h18

Sem um plano definido de disponibilização da vacina contra o novo coronavírus para quando a imunização existir, o Ministério da Saúde já prevê uma programa que vai atingir todas as pessoas do Brasil. Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 18, o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, disse que espera apenas que os esforços científicos estejam prontos e disponíveis.

"O Brasil tem um dos maiores programas de imunização do mundo. Nosso programa nacional tem capilaridade de nível municipal, estadual para alcançar os grupos no momento que uma vacina for disponibilizada. Nós iremos implementar um grande programa de imunização. Precisamos que todo o esforço da parte científica internacional, conduzido por diferentes frentes, esteja disponível e pronto", afirmou o Macário.

Élcio Franco, secretário-executivo adjunto da pasta, acrescentou que "toda comunidade científica mundial está inclinada à busca da vacina da covid-19 e não há reserva com relação ao conhecimento".

"Nós estamos com nossos técnicos, nossos especialistas, em contato com especialistas de todo o mundo nesses estudos [para uma vacina] e não tem havido barreiras para que se busque essa solução. É um esforço mundial nessa direção", completou Franco.

O Ministério da Saúde informou que o Governo Federal destinou R$ 5,3 bilhões a Estados e municípios para o combate à covid-19 e 823 respiradores foram enviados a 16 Estados brasileiros, sendo que 266 deles foram entregues no último fim de semana (de 15 a 17 de maio).

Ao apresentar os casos confirmados do novo coronavírus no Brasil, com atualização ainda de domingo, 17, e comparando com outros países, Eduardo Macário disse que o País é o 4º mundialmente em número de pessoas infectadas. Porém, após a coletiva, os novos dados divulgados pela pasta indicam que o Brasil ultrapassou o Reino Unido em número total de casos e já é o terceiro no mundo, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Macário reconheceu que o número de casos reportados no País tem sido crescente, com alguns Estados tendo evolução mais acelerada que outros. "Mas detecção e aumento é visível em todo o território nacional", afirmou. Dos 5.570 municípios brasileiros, 3.270 (58,7%) já registraram casos de covid-19, informou o ministério, e 1.220 cidades (21,9%) tiveram mortes em decorrência do novo coronavírus.

Das pessoas que morreram por covid-19 no Brasil, 69% tinha mais de 60 anos e 64% apresentava pelo menos um fator de risco para a doença. O País ainda tem 2.277 mortes em investigação, que podem ser confirmadas para covid-19 ou outras doenças respiratórias, como influenza.

O ministério lembrou que a campanha de vacinação contra a gripe, que foi antecipada por causa do novo coronavírus, vai até 5 de julho. A pasta informou que 43 milhões de brasileiros já receberam a vacina. A expectativa é de que 77,7 milhões de pessoas sejam imunizadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.