Ministério da Saúde inicia distribuição de preservativos femininos

Até o final da semana, 2,2 milhões de camisinhas chegam a todos os Estados e ao Distrito Federal

Agência Brasil

06 de junho de 2012 | 10h55

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde inicia nesta semana seu programa nacional de distribuição de preservativos femininos para todos os Estados e o Distrito Federal. Serão enviados 2,2 milhões de unidades até o domingo, o primeiro lote que compõe um total de 20 milhões de preservativos a serem distribuídos.

 

Terão prioridade na distribuição garotas de programa, mulheres que convivem com doenças sexualmente transmissíveis, usuárias de drogas e pessoas atendidas pelo sistema prisional. A camisinha também pode ser uma opção para mulheres que tenham dificuldade de negociar o uso do preservativo masculino com o parceiro.

 

O uso da camisinha feminina é pouco disseminado no país, onde predomina o preservativo masculino. De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, o dispositivo é uma alternativa à tradicional camisinha usada pelos homens. "É uma estratégia que faz parte da política brasileira de ampliar as opções de proteção às doenças sexualmente transmissíveis", disse.

 

Desde 1997, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a comercialização da camisinha feminina no Brasil, o Ministério da Saúde distribuiu cerca de 16 milhões de unidades em todo o país. A meta para este ano é 25% maior do que o total já adquirido pela pasta.

 

A distribuição de preservativos masculinos atingiu a marca de 493 milhões de unidades no ano passado, 45% a mais do que em 2010. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.