Ryad Kramdi/AFP
Ryad Kramdi/AFP

Ministério da Saúde quer antecipar vacinação contra gripe

Vacina da gripe não previne contra coronavírus, mas autoridades avaliam que imunização facilita diagnóstico de pacientes com sintomas semelhantes

Daniel Weterman e Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2020 | 14h14

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reforçou a intenção de antecipar a campanha de vacinação contra a gripe no Brasil após o primeiro caso confirmado de coronavírus no País. A vacina contra gripe não previne contra o coronavírus. As autoridades, porém, avaliam que a imunização facilita o diagnóstico para separar os casos quando há sintomas como febre e tosse.

A vacinação está prevista para começar entre a última quinzena de março e o início de abril.  "Se tivermos como antecipar, podemos começar pelo Rio Grande do Sul. O inverno chega um mês antes no Sul do Brasil", afirmou o ministro.   

O Instituto Butantan, que produz as doses, poderá concluir a fabricação da vacina e possibilitar uma antecipação. "Vamos poder antecipar. O que eu não posso dizer é em quanto tempo será essa antecipação", disse o secretário estadual de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann Ferreira. O instituto é ligado ao governo paulista. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.