Ministério inaugura em Bangu primeira Unidade de Pronto-Atendimento em presídio

'Os serviços dentro do Complexo de Bangu reduzem a pressão sobre o serviço de saúde do restante da população', disse Padilha

Agência Brasil,

05 de agosto de 2011 | 14h43

SÃO PAULO - O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, inaugurou nesta sexta-feira, 5, uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) no Complexo de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro. É a primeira unidade de emergência instalada em um presídio.

 

"Os serviços dentro do Complexo de Bangu reduzem a pressão sobre o serviço de saúde do restante da população, desafoga as emergências. Além disso, há um conjunto de doenças com alta prevalência no Brasil devido também à falta de assistência à população privada de liberdade, como a tuberculose, várias doenças sexualmente transmissíveis e por drogas injetáveis. Então, além de ser um direito dessa população, esse tipo de assistência evita a contaminação do resto da população", destacou Padilha.

 

À tarde, o ministro vai inaugurar uma UPA no município de Nilópolis, na Baixada Fluminense. "É fundamental que o Brasil expanda sua rede de urgência e emergência e nossa meta é construir mil UPAs até 2014", disse Padilha.

 

Mais cedo, ele participou da inauguração da unidade do programa Farmácia Popular em Manguinhos, zona norte, e do Seminário Preparatório para a Conferência Mundial sobre Determinantes Sociais de Saúde. Sobre as farmácias populares, Padilha, lembrou que já existem 16 mil unidades no país, que possibilitaram em seis meses o aumento de 190% no acesso de hipertensos aos medicamentos. No caso dos diabéticos, a ampliação chegou a 133%.

 

O ministro destacou que 63% dos remédios das farmácias populares são genéricos. "Além de garantir o acesso dos medicamentos à população, esse programa fortalece a indústria de genéricos no Brasil, tão importantes para nossa autonomia na produção de medicamentos", ressaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.