Ministério Público constata superlotação em hospital na PB

Inspeção realizada no Ortotrauma de Mangabeira verificou pacientes distribuídos em macas pelos corredores e até embaixo de uma escada, além de uma longa fila de espera

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

14 de outubro de 2011 | 18h29

SÃO PAULO - A Promotoria da Saúde de João Pessoa contatou nesta sexta-feira, 14, superlotação no Complexo Hospitalar Governador Tarcísio Burity, conhecido como Ortotrauma de Mangabeira, na Paraíba. Durante a inspeção verificou-se que 28 pacientes internados, entre eles idosos, estavam em macas pelos corredores, cantos de paredes e embaixo de escada. Alguns deles estão sem atendimento desde a última segunda-feira, 10.

De acordo com o promotor, João Geraldo Barbosa, a Promotoria recebeu, nos últimos dias, denúncias a respeito da superlotação do hospital. Na inspeção, a diretora-geral do hospital e a diretora de Cuidados afirmaram que ontem havia 35 pacientes nestas condições.

O serviço do hospital de Mangabeira está em contínua superlotação desde a implantação do Acolhimento com Classificação de Risco no Trauma. "Lamento que, ao tempo em que se propaga o bom funcionamento do Trauma, por outro lado, se verifica gravíssima situação de superlotação no Ortotrauma, como se um restasse em prejuízo para que o outro seja apresentado como cartão de visita do modelo de pactuação que os gestores públicos pretendem disseminar na atual administração", comentou o promotor. Obras que vêm sendo realizadas no Complexo de Mangabeira para implantar 30 novos leitos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.