Ministro anuncia novas regras para o controle da gripe suína

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, explicou que o objetivo é evitar a falsa sensação de insegurança

Elvis Pereira, da Central de Notícias,

26 Junho 2009 | 19h19

O significativo aumento de casos de gripe A (H1N1) no Brasil levou o Ministério da Saúde a anunciar nesta sexta-feira, 26, três medidas para lidar com a doença. A partir de agora, a suspensão de atividades em espaços coletivos, como escolas e empresas, onde houver a confirmação de infectados deverá ser decidida com base em critérios repassados pelo ministério às vigilâncias de saúde locais. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, explicou que o objetivo é evitar a falsa sensação de insegurança. "A recomendação é simples: antes de tomar qualquer decisão, ouvir as autoridades locais".

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

Outra mudança está relacionada ao primeiro atendimento. Antes, todos os pacientes notificados 48 horas após os primeiros sintomas recebiam o remédio Oseltamivir. "Quanto mais coloco o vírus em contato com o medicamento, maior a chance dele criar resistência", explicou o ministro. Para evitar o surgimento dessa resistência, agora, esse procedimento será adotado apenas se houver o agravamento do estado do doente, no mesmo período, ou em caso de crianças com até 2 anos, idosos, gestantes, pessoas com baixa resistência, diabéticos, cardiopatas e pacientes com doença pulmonar ou renal crônica.

 

A última modificação refere-se ao processo de confirmação da doença, que passará a ser definido conforme o vínculo dentro de um mesmo ambiente. Ou seja, se o exame laboratorial der positivo para um aluno de uma creche, será considerado que todas as pessoas que convivem no mesmo espaço e que apresentam os sintomas da nova gripe estão infectadas. Segundo o ministério, nessas situações, é desnecessário fazer o exame de todos, porque a probabilidade de que tenham contraído o vírus é muito grande.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína influenza A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.