Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Ministro da Saúde confirma quatro casos de H1N1 no Brasil

Segundo o ministro José Gomes Temporão, todos os doentes contraíram o vírus em viagem ao exterior

Ligia Formenti, da Agência Estado,

07 Maio 2009 | 18h50

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, confirmou os primeiros casos de influenza A H1N1, a gripe suína, no Brasil. Ao todo, segundo ele, são quatro casos. Segundo o ministro, todos os infectados contraíram a doença no exterior.

 

Veja também:

somOuça o anúncio do ministro, no Território Eldorado

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

 

 

"O vírus chegou ao Brasil", disse o ministro a jornalistas. "Todos passam bem", acrescentou Temporão.         

Os casos da doença estão nos Estados de São Paulo (2), Minas Gerais (1) e Rio de Janeiro (1). Três pacientes vieram do México e um dos Estados Unidos.       

 

Segundo o ministro, "não existe evidência de que o vírus tenha contaminado outras pessoas". E afirmou: "Estamos preparados, fiquem tranquilos, a situação está sob controle". Ele disse que nenhum dos pacientes está em situação de tarnsmitir o vírus a outras pessoas.

 

O ministro disse ainda que o País está preparado para conter a doença com "qualidade e confiabilidade".

Temporão acrescentou que nenhuma mudança no esquema de assistência será feito. "O alerta se mantém", disse.

 

Nesta tarde, o Ministério da Saúde havia informado a existência de 24 casos suspeitos da doença no Brasil, sendo a maioria no Estado de São Paulo.  Ao anunciar os quatro casos confirmados, o ministro anunciou que 15 casos continuam sendo considerados suspeitos, e 93 já foram descartados.         

            

Rio

 

O paciente do Rio de Janeiro é o único dos quatro que permence hospitalizado, segundo o Ministério da Saúde. O Hospital Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, confirmou o caso, depois da liberação dos resultados de exames feitos pela Fundação Oswaldo Cruz.

 

Trata-se de um rapaz de 21 anos que chegou no último sábado de Cancún, no México, em voo com escala na capital, Cidade do México. Ele apresentou sintomas da doença já no dia seguinte, mas deu entrada no hospital somente na terça-feira.

 

Segundo a chefe do Departamento de Doenças Infecciosas e Parasitárias do hospital, Regina Barbosa Moreira, todas as exigências da Organização Mundial de Saúde (OMS) para os casos de gripe suína estão sendo cumpridas.

 

O paciente, cuja identidade não foi revelada, está internado num quarto com "isolamento respiratório completo" e seu quadro clínico é estável. Ele ficará em observação por até dez dias, período que dura o ciclo do vírus. A unidade tem dez leitos de enfermaria e quatro de terapia intensiva para atender pacientes com a doença.

 

São Paulo

 

Em São Paulo, o governo estadual informa que os  pacientes são dois homens que voltaram recentemente de viagem internacional e estão sendo tratados pelo Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

 

Um deles, de 24 anos, esteve na Cidade do México entre os dias 17 e 22 de abril e apresentou sintomas da doença dois dias após o retorno ao Brasil. Segundo a secretaria, ele está internado há dez dias e seu estado de saúde tem evoluído bem.

 

O outro paciente, de 48 anos, viajou a Miami e Orlando entre os dias 19 e 28 de abril. Ele apresentou os primeiros sintomas em 29 de abril. 

 

A Secretaria da Saúde tem ainda outros oito pacientes com suspeita de contaminação - os resultados dos exames devem ser conhecidos em alguns dias - e sete em monitoramento. Os exames virológicos estão sendo realizados no Instituto Adolfo Lutz, órgão da Secretaria.

 

Minas

 

O paciente de Minas Gerais esteve no México de 22 a 27 de abril, segundo o Ministério da Saúde, e começou a manifestar os sintomas no dia 26, ainda no México. Foi internado no mesmo dia em que chegou ao Brasil, e recebeu alta no dia 29, porque só tinha manifestado o sintoma de febre.

 

Permaneceu em isolamento domiciliar até o dia 6 de maio, e atualmente passa bem. Como o maior período de transmissibilidade do vírus é de dez dias, diz o ministério, este paciente não corre risco de infectar outras pessoas.

 

Kits de exame

 

Também nesta quinta-feira, o governo começou a distribuir os kits para diagnóstico rápido do vírus H1N1, que foi enviado ao Brasil dos Estados Unidos no início da semana.

 

O material será encaminhado aos laboratórios da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio, e Adolfo Lutz, em São Paul. De acordo com nota divulgada pelo Ministério da Saúde, em breve mais kits serão recebidos e enviados ao laboratório Evandro Chagas, em Belém. 

 

América do Sul e mundo

O primeiro país da América do Sul a ter caso da gripe confirmado foi a Colômbia. Em todo mundo, já existem mais de 2 mil casos confirmados, segundo a OMS.

 

Também nesta quinta-feira, a Argentina confirmou seu primeiro caso da doença. O caso foi detectado em um turista argentino que esteve no México, disse a ministra da Saúde, Graciela Ocana, em uma coletiva de imprensa. O homem infectado não está internado e está em boas condições, disse a ministra.  

 

 

Nesta quinta a OMS anunciou que decidiu manter na fase 5, numa escala que vai até 6, o nível de alerta de pandemia para a doença, que já matou 44 pessoas no México e duas nos Estados Unidos.   (com Reuters)

 

(Ampliada às 20h47)

Mais conteúdo sobre:
gripe suína influenza A(H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.