Ministro da Saúde defende nomeação de diretor da ANS

Idec anunciou que entrará com representação no Conselho de Ética Pública da Presidência da República pedindo o afastamento de José Carlos de Souza Abrahão

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

14 Maio 2014 | 20h57

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou nesta quarta-feira, 14, que o diretor nomeado para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), José Carlos de Souza Abrahão, tem "plenas condições de exercer as funções". Abrahão, que teve a nomeação publicada segunda-feira no Diário Oficial, é criticado pela estreita ligação com operadoras de saúde e pelo fato de ter se posicionado contrariamente ao ressarcimento ao Sistema Único de Saúde - obrigatório quando clientes das empresas são atendidos na rede pública.

O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) deve entrar, até o início da próxima semana, com uma representação no Conselho de Ética Pública da Presidência da República pedindo o afastamento de Abrahão. "Democraticamente, as instituições têm direito de apresentar o pedido ao conselho. Vamos aguardar o posicionamento", disse Chioro.

Em nota divulgada na terça-feira, 13, o Conselho Nacional de Saúde também criticou a indicação de Abrahão para o cargo, sob a argumentação de que ele estaria impedido de votar em processos envolvendo planos. Chioro, no entanto, discorda e destacou que todos os julgamentos na ANS são feitos por um colegiado e embasados na legislação.

Mais conteúdo sobre:
ANS Idec

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.