EFE/EPA/Marcos Oliveira/Agência Senado - 12/8/2015
EFE/EPA/Marcos Oliveira/Agência Senado - 12/8/2015

Ministro da Saúde faz reunião com estrategista de Biden sobre a covid-19

Em videoconferência, Marcelo Queiroga conversou com o infectologista Anthony Fauci e também se reuniu com o embaixador dos Estados Unidos, Todd Chapman

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2021 | 19h26

BRASÍLIA – O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez uma videoconferência nesta terça-feira, 30, com o infectologista Anthony Fauci, responsável pela estratégia de combate à covid-19 no governo Joe Biden, dos Estados Unidos.

Diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, Fauci tem demonstrado preocupação com o quadro da pandemia no Brasil. No último dia 24, ele afirmou que faria reunião com autoridades brasileiras. "Estamos bem preocupados com a situação difícil do Brasil e iremos discutir formas de ajudar o país", afirmou o infectologista à imprensa nesta data.

Procurada, a Saúde não informou a pauta da reunião e se houve algum encaminhamento. O ministro Queiroga disse na segunda-feira, 29, que negocia uma “permuta” de vacinas com os Estados Unidos, para antecipar a chegada de doses ao Brasil, mas não entrou em detalhes sobre esta conversa.

Queiroga também se reuniu com o embaixador dos Estados Unidos, Todd Chapman. O Estadão apurou que o governo Biden tem apontado impedimento legal para exportação de doses da covid-19.

Tido como um dos principais infectologistas dos EUA, Fauci entrou em conflito com o ex-presidente Donald Trump, em 2020, por discordar as ações do republicano durante a pandemia. Trump chegou a referir-se ao médico como "um desastre"

O governo americano tem sido pressionado a compartilhar doses de vacina com nações pobres e em desenvolvimento, conforme consegue avançar na imunização da própria população. Em audiência na Câmara dos Deputados, na semana passada, o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo disse que considera “difícil” o Brasil obter dos EUA a liberação para compra de vacinas, mas afirmou que o governo tem "boa perspectiva" de conseguir "kits de intubação" e máquinas de produção de oxigênio nos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.