Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Ministro da Saúde pede que pessoas tenham 'etiqueta' no Carnaval para evitar coronavírus

Apelo por 'bons modos' foi feito em reunião com secretários municipais e estaduais de Saúde; Brasil tem nove casos suspeitos de coronavírus

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2020 | 11h57

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pediu aos carnavalescos que tenham mais "etiqueta" nas festividades para evitar o contágio de doenças como o coronavírus.

O apelo por "bons modos" foi feito em Brasília nesta quinta-feira, 6, em reunião com secretários estaduais e municipais para debater os planos de contingência na prevenção ao novo coronavírus.

"Tentar falar isso durante o Carnaval, a gente fala que a pessoa tem que ter um pouco mais de etiqueta no Carnaval. Agora, eu não conheço ainda o impacto.", disse Mandetta aos secretários, exemplificando recomendações como lavar as mãos e colocar o cotovelo na frente do rosto ao espirrar. 

"Vocês que são secretários municipais dialoguem com seus carnavalescos e peçam um pouco mais de etiqueta carnavalesca, ainda mais naqueles bailes de salão de antigamente, colombina, menos pipoca atrás do trio elétrico... Não sei como vocês vão fazer, cada um faça do seu jeito", disse o ministro, em tom bem-humorado. 

Até a próxima segunda-feira, 10, as secretarias estaduais de Saúde devem enviar ao ministério seus planos de contingência para prevenir e atender eventuais casos suspeitos do coronavírus. O Brasil tem 9 casos suspeitos de coronavírus e nenhum caso confirmado. Os casos suspeitos estão em São Paulo (3), Rio Grande do Sul (3), Rio de Janeiro (1), Santa Catarina (1) e Minas Gerais (1). 

De acordo com Mandetta, o País está se preparando considerando um cenário intermediário de casos no Brasil, semelhante à China, epicentro da doença. O ministro afirmou que não há no horizonte, no momento, uma grande epidemia do vírus no País. 

Fora do Brasil, mais de 28 mil pessoas contraíram o novo coronavírus. Ao menos 12 países já registraram transmissão interna da doença, de pacientes que não viajaram à China, país que concentra a maioria dos casos. O Brasil já enviou um avião para Wuhan, para repatriar brasileiros que estão no local que é epicentro da doença. Eles devem chegar no sábado, 8, e vão cumprir um período de quarentena em uma base aérea de Anápolis (GO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.