Adriano Machado/ Reuters
Adriano Machado/ Reuters

Ministro da Saúde segue internado em Hospital das Forças Armadas

Eduardo Pazuello foi diagnosticado com covid-19 há 12 dias; novo boletim do Ministério da Saúde informa que o ministro segue em repouso e já não apresenta quadro de desidratação

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2020 | 18h11

BRASÍLIA - Diagnosticado há 12 dias com covid-19 e hospitalizado há três, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, segue internado no Hospital das Forças Armadas.

O novo boletim do Ministério da Saúde divulgado por volta das 17h desta segunda-feira, 2, informa que Pazuello segue em repouso e já não apresenta quadro de desidratação. “Não houve nenhuma nova intercorrência. Pazuello está bem e disposto, mas continuará sendo monitorado pela equipe médica”, diz a nota. 

A pasta, no entanto, não informa previsão sobre quando o ministro deve ser liberado. Ele passará a noite de hoje no hospital, segundo a assessoria. 

Pazuello foi internado na noite de sexta-feira, 30, no DF Star, um dos mais conceituados de Brasília. Neste dia, a nota do ministério trazia uma expectativa de que ele seria liberado “brevemente”. Mas, com o acompanhamento médico, a decisão foi de permanecer na unidade. Ele ficou neste endereço até domingo,1, quando teve alta. 

Mas, em vez de ir casa, no entanto, o ministro foi encaminhado para o Hospital das Forças Armadas. Pouca informação foi divulgada para explicar o motivo dessa transferência. Segundo o ministério, a razão foi “para análise da equipe médica que o acompanha desde o início do tratamento para covid-19” e também que “o procedimento é regulamentar para o tratamento que teve início em unidade de saúde militar”.

Antes de ir para o DF Star, na sexta-feira, Pazuello estava cumprindo isolamento em um hotel de trânsito dos oficiais, no Setor Militar Urbano, na capital federal, e sentiu febre e dor de cabeça.

O ministro da Saúde costumava comparecer a eventos públicos sem máscara antes de contrair a doença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.