Ministério da Saúde (@minsaude)/Twitter
Ministério da Saúde (@minsaude)/Twitter

Ministro diz que poderá abrir edital do Mais Médicos para venezuelanos

Medida será adotada caso equipe disponível não seja suficiente para atender demanda, sobretudo em Roraima

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2018 | 19h40

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou haver a possibilidade de abertura de um edital extraordinário para contratação de venezuelanos para participar do Mais Médicos. A medida, no entanto, somente será adotada caso a equipe hoje disponível dentro do programa não seja suficiente para atender a demanda, sobretudo em Roraima, Estado que passou a receber grande número de venezuelanos. Atualmente, existem cerca de 50 médicos formados na Venezuela que já trabalham no programa, mas em outras partes do País.

+++ Criança venezuelana com sarampo morre em Boa Vista

Uma das possibilidades é deslocar os profissionais para áreas de maior demanda, onde já exista um grande fluxo de migração. Para isso, seria necessária a participação de Estados e municípios interessados.

+++ Amazonas e São Paulo receberão primeiros refugiados venezuelanos de Roraima

Barros, no entanto, descartou a possibilidade de fazer uma validação automática do diploma de médicos venezuelanos que imigraram recentemente, com o objetivo de fixá-los no País.

+++ Cobertura vacinal de sarampo é uma 'tragédia', diz coordenadora

Em janeiro, foi assinado um plano de ação integrado, com ações para atender ao aumento de demanda por serviços de saúde, alimentação e assistência a pessoas que estão em situação de rua. Barros afirmou que um dos objetivos da ação é promover a "interiorização" dos imigrantes, favorecendo a instalação do grupo em várias cidades, evitando que eles permaneçam concentrados na capital de Roraima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.