Julio Cavalheiro/Secom SC
Julio Cavalheiro/Secom SC

Ministro interino da saúde justifica aumento de casos de coronavírus pela chegada do inverno

Contudo, Pazuello prevê que a alta não será acompanhada pelo total de óbitos

Vinícius Valfré, Brasília

22 de julho de 2020 | 20h50

BRASÍLIA - O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, avaliou nesta quarta-feira, 22, em Florianópolis (SC), que medidas tomadas por gestores locais para combater a pandemia de covid-19 "estão acontecendo bem". O comentário do general que comanda a pasta provisoriamente há mais de 67 dias foi feito após pergunta sobre descentralização da gestão da crise em Santa Catarina.

"Medidas preventivas, afastamento social, testes e todas as medidas que o gestor da ponta da linha tem a disposição para trabalhar, ferramentos de acompanhamento de graus de risco... isso já está sendo utilizado. E está acontecendo como foi preconizado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). E a gente acha realmente que as coisas estão acontecendo bem", afirmou, em coletiva de imprensa.

O reconhecimento, por parte do STF, da autonomia de Estados e municípios para decidir no âmbito local  respeito das medidas sanitárias necessárias é um dos principais argumentos do presidente Jair Bolsonaro para buscar se isentar das consequências da pandemia.

Bolsonaro alega que a Suprema Corte afastou dele o controle das ações e as transferiu exclusivamente aos gestores locais. O tribunal, no entanto, aplicou o entendimento de que Estados, municípios e União podem atuar nas suas respectivas esferas.

Na agenda no Sul do País, Pazuello também chamou a atenção para a possibilidade de aumento nas contaminações pelo novo coronavírus durante o inverno. Contudo, o interino prevê que a alta não será acompanhada pelo total de óbitos.

Isso porque, segundo ele, existe uma estrutura mais forte para diagnóstico e atendimento que fará com que os casos não cheguem ao conhecimento das unidades de saúde apenas quando estiverem em estágio avançado.

"Há uma realidade de aumento dos casos de contaminação agora. Faz parte do inverno, da mudança social durante o inverno. Isso faz com que contaminação aumente. Mas fica claro que a curva de contaminação aumentar não significa a curva de óbitos aumentar", comentou, na capital catarinense.

Na terça-feira, Pazuello também se encontrou com gestores de saúde em Porto Alegre (RS).  De acordo com dados do Ministério da Saúde desta quarta, o Rio Grande do Sul registra 1.397 mortos por covid-19. Santa Catarina, 765.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.