Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Monitoramento aponta tendência de aumento de casos de síndrome respiratória aguda grave no Brasil

Segundo o novo boletim Infogripe, 12 das 27 capitais apresentam uma tendência de moderada a forte de crescimento nas últimas seis semanas

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2020 | 13h34

RIO - Novo boletim de monitoramento semanal Infogripe, da Fiocruz, aponta uma tendência de aumento de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em todo o País. A síndrome pode ser causada por diferentes vírus respiratórios, mas, este ano, cerca de 98% dos casos são causados pelo Sars-CoV-2. Divulgado nesta quarta-feira, 25, o novo dado se soma a uma série de outras evidências do agravamento da epidemia de covid-19

A tendência de aumento já vinha sendo indicada há várias semanas em diferentes capitais, mas esta é a primeira vez desde o fim de junho que a tendência de aumento é constatada em todo o território. Segundo o novo boletim Infogripe, 12 das 27 capitais brasileiras apresentam uma tendência de moderada a forte no crescimento do número de casos nas últimas seis semanas, entre elas São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Quatro capitais registram um sinal forte de crescimento (maior que 95%) nas últimas seis semanas: Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Maceió (AL) e Salvador (BA). O sinal de alta é considerado moderado (maior que 75%): Curitiba (PR), Natal (RN), Palmas (TO), Plano piloto de Brasília e arredores, Rio de Janeiro (RJ), São Luís (MA), São Paulo (SP), Vitória (ES).

Ao todo, este ano, já foram reportados 565.312 casos de SRAG e 137.991 mortes – 99% delas relacionadas à covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.