Morre rapaz com suspeita de febre amarela em Goiás

Doença foi confirmada por meio de exame sorológico, mas oficialmente morador é um dos casos investigados

14 de janeiro de 2008 | 19h28

Um rapaz de 24 anos de idade, cujo nome a família pediu para não ser divulgado, morreu no último dia 2 de febre amarela, depois de ficar seis dias internado no Hospital de Doenças Tropicais (HDT) de Goiânia. A doença foi confirmada por um exame sorológico no Lacen-Laboratório Central de Saúde Pública, em Goiânia.  Veja também:  Especial febre amarela Paraguaios também se vacinam contra a febre amarela O Ministério da Saúde confirmou o caso. Agora são três infecções comprovadas, com duas mortes e uma recuperação, a da mulher internada em São Paulo. O número de registros suspeitos agora é de 17. Desde que os primeiras investigações foram iniciadas, seis casos suspeitos foram descartados. Oficialmente, o morador de Goiânia é um dos dez casos que o HDT está investigando sob suspeita de ter contraído febre amarela. Com a morte do rapaz, chega a três o número de pessoas mortas pela doença no País.  Os números atuais tornam a crise atual numa das maiores do Estado. Em 1999, houve registro de 12 casos de febre amarela e 5 mortes. No ano seguinte, em 2000, foram registrados 54 casos e 24 óbitos. No ano passado, no mês de abril, foram registrados dois casos em Jataí, no interior de Goiás. Novas suspeitas O serviço de Vigilância Epidemiológica de São José do Rio Preto, a 440 quilômetros de São Paulo, notificou ontem o Ministério da Saúde sobre um caso suspeito de febre amarela no município. Trata-se do executivo Joel Chaloni, de 44 anos, que está internado no Hospital Austa, naquela cidade, desde sábado. Chaloni esteve a trabalho em localidades endêmicas de Mato Grosso e em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, de onde voltou no dia 23.  No sábado, Chaloni apresentava sintomas de febre amarela. Inicialmente, os médicos suspeitavam de dengue, mas exames clínicos teriam levantado descartado a idéia. Por isso, novos testes foram solicitados pela Vigilância Epidemiológica. O resultado deve sair sexta-feira. A vigilância de Ribeirão Preto informou ontem que existe a suspeita de dois casos de febre amarela na cidade. O primeiro é de uma jovem de 18 anos que não estava vacinada e passou um mês em Goiás. Segundo técnicos da Vigilância, a paciente passa bem e deve receber alta em breve. O exame que irá confirmar ou não a doença ficará pronto somente na semana que vem. O segundo caso é de um rapaz de 28 anos que também apresenta febre e dores de cabeça.  Texto alterado às 20h30 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
Febre amarela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.