Gutemberg Brito/IOC/Divulgação
Gutemberg Brito/IOC/Divulgação

Morte de médica por dengue comoveu Limeira

Caso de ginecologista e obstetra Neyde Harumi Onishi Oshiro motivou ato na Câmara; profissionais cobram medidas mais eficazes

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

02 Junho 2015 | 03h00

SOROCABA - A morte da ginecologista e obstetra Neyde Harumi Onishi Oshiro, de 60 anos, no dia 15 de março, é um dos 16 óbitos causados pela dengue e confirmados por exames de laboratório em Limeira, interior de São Paulo, desde o início do ano. A médica era muito conhecida e sua morte mobilizou a sociedade.

Dois dias depois, 20 médicos foram à Câmara cobrar do município medidas mais eficazes contra a doença. Entre eles estava a médica e delegada do Conselho Regional de Medicina, Soraia Drago Menconi, amiga de Neyde. “Nossa cobrança foi no sentido de serem adotadas medidas efetivas no combate à dengue.”

Ela mantinha consultório na Rua Santa Terezinha, região central da cidade, e amigos e pacientes demonstraram grande pesar com a perda. Melli William Fernandez relata que ela acompanhou sua gravidez. “Foi pelas mãos dela que minha filha veio ao mundo.” Muitas pacientes, como Cíntia Silva, postaram nas redes sociais a tristeza pela morte. 

A direção do Hospital Medical informou ter feito tudo o que era possível. “A médica apresentou os sintomas da doença desde o início - febre, dor no corpo e mal-estar. Ela submeteu-se ao teste rápido na manhã de sábado (14 de março) e o resultado foi positivo para a doença. Horas depois, à noite, houve evolução severa e ela deu entrada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com pressão muito baixa”, relatou em nota oficial. “Em pouco tempo, ela entrou em choque - quando há queda de pressão e colapso da circulação. Foram realizados todos os procedimentos possíveis; recebeu assistência respiratória e foi entubada, mas o organismo da médica não respondeu.” 

Bauru. A Secretaria da Saúde de Bauru, na região noroeste do Estado, confirmou nesta segunda-feira, 1º, a quarta morte causada pela dengue neste ano. A vítima, um idoso de 86 anos, tinha diabete, hipertensão e outras doenças que foram agravadas pela dengue.

Já Capivari, na região de Campinas, tornou mais rígidas as penalidades para quem mantiver terrenos com mato ou entulho. O proprietário que for flagrado com possíveis criadouros será multado em R$ 694. A cidade registrou 893 casos.


Mais conteúdo sobre:
Limeiradengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.