Morte de médico eleva para 3 as vítimas do H1N1 em Gaza

Gripe A já é responsável pelo óbito de 12 pessoas nos territórios palestinos nos últimos meses

Efe,

09 Dezembro 2009 | 12h12

Com a morte de um médico palestino nesta terça-feira, 8, em um hospital israelense, aumenta para três o número de mortos por causa da gripe A na Faixa de Gaza, disseram fontes oficiais palestinas.

 

Veja também:

linkCinco morrem na Suíça após serem vacinadas contra gripe A

linkGripe suína é menos perigosa que se imagina, diz estudo

linkBrasil vai vacinar idosos, grávidas e crianças 

 

O vice-ministro de Saúde no deposto Governo do movimento islâmico Hamas, Hassan Khalaf, disse que o médico, identificado como Mahmoud al-Haddad e que sofria transtornos crônicos de coração e pulmões, foi levado a Israel na segunda-feira após ser diagnosticado com a gripe.

 

Com a morte de Haddad, sobe para três o número de vítimas fatais palestinas na Faixa de Gaza diagnosticadas com gripe A, e para 12 o total de mortos pelo vírus nos territórios palestinos.

Mais conteúdo sobre:
Gaza mortes gripe A H1N1

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.