Mortes por doenças cardiovasculares caem 20,5% no País

Pesquisa Saúde Brasil 2008 apresenta uma avaliação do cenário brasileiro de saúde de 1990 a 2006

estadao.com.br,

19 de novembro de 2009 | 14h27

Principal causa de morte no País, as doenças cardiovasculares estão provocando menos óbitos entre os brasileiros segundo o Ministério da Saúde. A pesquisa Saúde Brasil 2008, divulgada nesta quinta-feira, 19, aponta que o número de mortes por infarto e acidentes vasculares caiu 20,5% entre 1990 a 2006.

 

Veja também:

linkBrasileiro está mais alto e mais obeso, diz Ministério da Saúde 

 

"No que se refere à assistência à saúde, a expansão da atenção básica contribuiu para esse resultado, porque são doenças que podem ser controladas com diagnóstico precoce e informação", explica Otaliba Libânio, diretor do Departamento de Análise de Situação de Saúde da SVS.

 

Na análise por faixa etária, o levantamento apontou uma redução expressiva nas mortes por doenças cardiovasculares na população de 20 a 74 anos. Nessa faixa etária, o risco de morte caiu de 187,9 por 100 mil habitantes, em 1990, para 149,4 por 100 mil habitantes em 2006, o que representa queda de 1,4% ao ano. Na população mais jovem, de 20 a 39 anos, a queda anual registrada foi de 3,6% para mulheres e 3,3% para os homens.

 

Diabetes

 

Por outro lado, o diabetes vem crescendo em ritmo preocupante como causa de morte entre os brasileiros. No período de 16 anos avaliado pelo Ministério de Saúde, o risco de morte pela doença passou de 16,3 por 100 mil habitantes, em 1990, para 24 por 100 mil habitantes, em 2006.

 

“O principal fator associado é a mudança na alimentação do brasileiro, que leva ao sobrepeso, afinal o diabetes tem relação direta com a obesidade”, comenta Libânio. “No entanto, observamos estabilização em algumas regiões do país a partir do ano 2000.”

 

Segundo a pesquisa, o aumento está mais concentrado entre os homens com 40 anos de idade ou mais, sendo de 2,3% ao ano. A partir dos 60 anos, esse aumento é de 3,5% ao ano. Para as mulheres na mesma faixa etária, o aumento é de 1% e 1,7% ao ano, respectivamente. Já entre os jovens de 20 a 39 anos houve redução de 1,6% para mulheres e 1,5% para homens.

 

Mortes entre crianças

 

As principais causas de mortalidade infantil tiveram quedas em seus índices entre 1980 e 2005, aponta a pesquisa Saúde Brasil 2008. O número de mortes de crianças menores de um ano de idade por diarreia caiu 93,9%, passando de 32.704, em 1980, para 1.988, em 2005. Com essa retração, a doença deixou de ser a segunda causa de mortalidade infantil (24,3% em 1980) e passou para a quarta posição (4,1% em 2005), segundo o Ministério da Saúde.

 

O número de óbitos de crianças por doenças imunizáveis, como sarampo e poliomelite, teve queda verificada de 97,2% no período de 25 anos analisado. O índice de mortalidade por desnutrição e anemia caiu 89,2%, enquanto que as mortes por infecções respiratórias agudas, como a pneumonia, retraiu 87,5%.

 

“São resultados muito positivos. Tivemos urbanização, ampliação da rede, água tratada, esgoto, melhor alimentação e um trabalho na atenção básica direcionado para o controle da desidratação. Tudo isso contribuiu para a redução tanto dos casos de morte por diarreia quanto pelas outras causas”, diz Libânio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.