Arquivo/AE
Arquivo/AE

MP move ação para permitir importação de luva cirúrgica

Falta de material no País faz com que pacientes alérgicos ao material tenham que adiar cirurgias

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

11 Março 2010 | 09h29

O Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP) move uma ação para autorizar a importação de luvas cirúrgicas sem látex em um prazo de 15 dias. A falta de material no País faz com que pacientes alérgicos ao material tenham que esperar por prazo indeterminado para realizar cirurgias. Segundo o MPF, o Hospital Abreu Sodré, uma das sedes da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), já teve que cancelar 53 procedimentos em razão da falta do material.

As luvas sem látex não são fabricadas no Brasil e a importação delas é dificultada pelas novas exigências determinadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), que fazem com que as empresas estrangeiras não tenham interesse em exportar o material para o País, o que acaba deixando em falta o mercado interno.

De acordo com o MPF, a ausência das luvas sem látex vem colocando em risco a saúde e a vida não só de crianças e adolescentes pacientes da AACD mas também de todas as pessoas que têm alergia ao material e, por isso, o órgão tentou obter, junto à Anvisa, uma solução administrativa para o problema, como a alteração das exigências que constam na resolução. A Anvisa informou que as exigências dela e a Portaria nº 233 do Inmetro trazem mais segurança sanitária para a disponibilização de luvas no mercado brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.