Mulher dá à luz sêxtuplos em hospital de Berlim

Os bebês estão sendo alimentados pelos médicos com dose de leite materno doze vezes ao dia

EFE,

20 de outubro de 2008 | 16h20

mulher deu à luz seis crianças em Berlim, quatro meninas e dois meninos que estão com saúde "boa e estável", disse o diretor do Hospital Charité, Ulrich Frei.   O nascimento dos seis bebês, que aconteceu na quinta-feira passada, é o primeiro com essas características na Alemanha desde 1986.   Os bebês nasceram após 27 semanas de gestação e pesam entre 800 e 900 gramas cada um.   Os médicos encarregados do caso esperam que os recém-nascidos possam deixar o hospital dentro de cinco semanas, conforme explicou a chefe do departamento de neonatologia do centro médico, Monika Berns.   Ainda não é possível garantir que os bebês estão fora de perigo ou que não vão ter seqüelas, já que 30% dos recém-nascidos prematuros, que nascem com um peso inferior a 1 quilo, podem desenvolver doenças pulmonares crônicas.   "No dia em que tiverem alta, saberemos se os bebês já passaram pelo pior", frisou Berns, que explicou que participaram do parto 12 médicos e seis enfermeiras.   Os bebês estão sendo alimentados pelos médicos com dose de leite materno doze vezes ao dia já que, por enquanto, seu desenvolvimento físico não permite coordenar ações como respirar e beber.   O médico Wolfgang Henrich afirmou que apesar das previsíveis dificuldades do parto, o parto das crianças aconteceu por cesárea e sem complicações, graças aos "intensos cuidados" dados pelo hospital e ao "empenho" da mãe.   A direção do hospital, em comunicado, não quis oferecer dados relativos à família para respeitar a privacidade.   Segundo o jornal popular Bild, a mãe havia sido submetida previamente a um tratamento hormonal para ficar grávida - o que eleva a possibilidade de haver uma fecundação múltipla.   Calcula-se que a possibilidade de dar à luz sêxtuplos é de uma entre 4,4 bilhões e 4,7 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
berlimgêmeosfertilidadesêxtuplos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.