Jeferson Baldo / Divulgação
Jeferson Baldo / Divulgação

Mulher de vice-governador de Santa Catarina morre após fazer lipoescultura

Ivane teve complicações durante procedimento, foi transferida para hospital, mas não resistiu

FERNANDA BASSETTE, O ESTADO DE S.PAULO

20 de julho de 2013 | 17h54

A advogada Ivane Fretta Moreira, de 60 anos, mulher do vice-governador de Santa Catarina e presidente estadual do PMDB, Eduardo Pinho Moreira, morreu às 17h de anteontem em consequência de complicações durante uma lipoescultura, um tipo de cirurgia plástica estética.

A lipoescultura é uma técnica em que o cirurgião retira gordura localizada de algumas regiões do corpo para depois enxertá-la em outras áreas que precisem de mais preenchimento. A lipoaspiração é um pouco diferente: a gordura localizada é aspirada para criar um contorno corporal diferente.

Ivane fez a cirurgia no Ilha Hospital & Maternidade, uma clínica privada em Florianópolis. Ela sofreu complicações durante o procedimento – há a suspeita de que ela tenha sofrido uma embolia pulmonar.

A paciente foi encaminhada em uma UTI móvel para o Hospital Baía Sul, que informou que Ivane deu entrada às 13h com bradicardia (diminuição da frequência cardíaca), perda de nível de consciência e sofrimento cerebral grave.

Segundo o hospital, o quadro evoluiu para instabilidade hemodinâmica (pressão baixa, taquicardia e arritmia). Ela não respondeu às medidas de ressuscitação e morreu às 17h50.

Luto oficial. Ivane estava casada com Eduardo Moreira havia 37 anos. Ela tinha quatro filhos e dois netos. Por conta da morte, o governador Raimundo Colombo (PSD) decretou luto oficial de três dias no Estado.

O corpo de Ivane foi velado até as 14h de ontem no hall do Centro Administrativo do Estado e depois seguiu para o Balneário Camboriú, para ser cremado no Crematório Vaticano.

 

O Brasil é o segundo país do mundo em número de cirurgias plásticas – fica atrás apenas dos Estados Unidos. A lipoaspiração é a técnica mais executada (foram 211 mil procedimentos só em 2011), seguida do implante de silicone nas mamas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.