Mulheres lutam mais contra o vício do cigarro

Que as mulheres são mais sensíveis do que os homens, observam melhor o figurino nas festas e conhecem a fundo as vantagens de uma escova nos cabelos, isso todo mundo já sabe. A novidade sobre o sexo feminino é que elas se preocupam mais com a saúde. Pelo menos quando o assunto é o cigarro, o número de pessoas que buscam tratamento contra o fumo é maior no universo feminino das fumantes. No Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado hoje, uma pesquisa do Centro Estadual de Tratamento de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), que acaba de ser divulgada, aponta que mais da metade das pessoas que procuram atendimento para abandonar o tabagismo é mulher. Dos 500 pacientes atendidos entre fevereiro de 2005 e fevereiro de 2006, 56,52% eram do sexo feminino e 43,48%, do masculino. A administradora de empresas Milena Cascarelli, de 22 anos, foi uma das que, há cinco meses, optou por largar o vício. "Comecei a fumar muito cedo. Fui influenciada pelas minhas amigas e também por um namoradinho da adolescência. Só que depois nós terminamos e o meu atual companheiro odeia cigarro. Foram dois estímulos: a preocupação com a saúde e o respeito para não perder meu novo namorado", conta a jovem. Os motivos apontados por Milena são os que prevalecem nas pacientes do Cratod. De acordo com o estudo, elas alegam que a rejeição dos homens é o principal fator, seguido pela redução da fertilidade e os riscos de doenças. "Há uma grande diferença do significado do fumo para homens e mulheres. Elas adotam o cigarro como um companheiro, uma solução para suprir um vazio emocional. Já os homens fumam para aliviar estresse, inserção social e auto-afirmação", afirma a diretora do Cratod, Luizemir Lago. No Centro de Tratamento Contra o Fumo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, no Paraíso, Zona Sul, o cadastro de pacientes também mostra que as mulheres são maioria. "Cerca de 60% dos nossos pacientes são do sexo feminino e 40% são homens", garante o pneumologista Ciro Kirchenchtejn. Mas se parar de fumar não é uma das tarefas mais fáceis, para as mulheres a vaidade pode deixar o processo ainda mais complicado. Muitas engordam e abandonam o tratamento por causa disso. "Eu engordei 10 quilos em dois meses. Mas valeu muito a pena. Estou mais cheirosa, sinto os gostos dos alimentos. Parece que renasci", ressalta Solange Aparecida Toledo, de 31 anos, que há quatro meses faz o tratamento no Cratod. Quem quiser receber orientações para deixar de fumar pode ir ao Shopping Market Place, na Zona Sul. O Hospital Oswaldo Cruz montou um estande no local para atender o público, entre 10h e 22h. O serviço é gratuito e vai funcionar até sexta-feira, 1° de setembro. Números (estimativas do INCA) 30 milhões de pessoas fumam em todo o Brasil; 18 milhões do total de fumantes são do sexo masculino; 12 milhões dos que possuem o vício são mulheres; 80% dos que consomem cigarro querem largar o vício; 100 mil brasileiros morrem todo ano por causa do fumo; Combatendo a Dependência: Prazo Definido - Escolha uma data para parar de fumar e desfaça-se de todo cigarro que tiver. A idéia de parar com o fumo gradativamente dificilmente dá certo. Dependentes - A nicotina aumenta a produção de substâncias psicoativas, como a dopamina e a serotonina, que são responsáveis pela sensação de prazer. Esta é a razão da dependência. Tempos Difíceis - O 1º mês é o mais crítico e este período é recheado de vários momentos de nervosismo, irritação e ansiedade. Para combater o desejo intenso de fumar, recomenda-se inspirar profundamente por 10 vezes, beber dois copos de água e fazer breves caminhadas. Cuidado com a Balança - Algumas pessoas associam a ingestão de açúcar ao alívio da ansiedade. Porém, é necessário ter cautela com o excesso, já que seu peso pode aumentar. Ajuda de Especialistas - O apoio psicológico é muito importante para quem quer largar o vício. A família e os amigos podem contribuir com isso, se encararem o fumante como um dependente. Mas é importante combater o tabagismo e não o fumante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.