Mulheres que engordam mais na gravidez dão à luz bebês mais pesados

Crianças ficam mais propensas a se tornarem adultos obesos, ter câncer, alergias e asma

Reuters

04 de agosto de 2010 | 19h38

WASHINGTON - Mulheres grávidas devem começar a cuidar do peso durante a gestação para que não fiquem muito pesadas e corram o risco de ferir seus bebês, segundo estudo publicado na revista médica The Lancet.

Pesquisadores descobriram que as mães que ganham mais peso deram à luz bebês mais pesados, que por sua vez são mais propensos a se tornarem adultos obesos. Eles também podem ter mais chances de câncer, alergias e asma.

"O estudo sugere que o melhor momento para começar a prevenir a obesidade pode ser realmente antes do nascimento, concentrando-se no ganho de peso e na dieta da mãe durante a gravidez", disse o Dr. David Ludwig, do Children's Hospital em Boston, que trabalhou no estudo.

Ludwig e Janet Currie, uma economista da Columbia University, em Nova York, analisaram dados de todos os bebês nascidos em Michigan e New Jersey durante um período de 15 anos (entre 1989 e 2003). Ao todo, foram 513.500 mulheres e 1,1 milhão de bebês.

Os pesquisadores queriam eliminar as causas genéticas de nascimentos de crianças com peso elevado. Eles compararam os bebês com as mães e eliminaram os que nasceram de cesarianas e as gestações que duraram menos de 39 semanas e mais de 40.

"As mulheres que ganharam mais de 22,5 kg tinham duas vezes mais risco de ter um bebê com peso elevado em relação às mulheres que ganharam 9 kg", disse Ludwig.

Os recém-nascidos de mulheres que ganharam mais de 22,5 kg durante a gravidez eram quase 150 gramas mais pesados que bebês de mulheres que ganharam 9 kg ou menos.

Os médicos sabem que a alimentação restrita durante gravidez e o baixo peso do bebê no nascimento podem causar diabete e problemas no coração na vida adulta. Mas atualmente, com a obesidade tão comum em mulheres em idade fértil, os médicos estão preocupados com a consequências.

Na última terça-feira, os Centros para Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos relatou que mais de 26% dos americanos estão obesos, o que significa que eles estão 20% além do seu peso ideal. O órgão solicitou uma legislação e regulamentação para se tornar mais fácil comer melhor e se exercitar mais no país.

Em 2009, 8% das mulheres em idade reprodutiva nos Estados Unidos estavam severamente obesas, comparando-se com os 3% que apresentaram peso abaixo do recomendado, de acordo com o Instituto de Medicina.

As mulheres mais obesas são as mais suscetíveis a perder um bebê: são 7,5 mortes por 1.000 nascimentos, comparando-se com 5,3 óbitos por 1.000 em mulheres não obesas.

O Instituto de Medicina recomenda que mulheres saudáveis ganhem entre 11 kg e 15 kg durante a gravidez. Mães com sobrepeso não devem ultrapassar de 7 kg a 11 kg; e as obesas devem ficar apenas entre 5 kg e 9 kg mais pesadas.

"A gravidez é um período específico de tempo em que as mulheres são normalmente mais motivadas a levar estilo de vida saudável, porque percebem que não é apenas o bem-estar delas que está em jogo, mas também o de seus filhos", afirmou Ludwig.

A composição do corpo de um bebê no nascimento pode afetar a saúde dele no futuro por meio de mudanças nos órgãos que regulam o metabolismo, como o hipotálamo e o pâncreas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.