Reuters
Reuters

Mutação do vírus da gripe A é descoberta no México

Apesar de ter sido registrado apenas um caso resistente ao antiviral, há outros 423 casos sob suspeita

ANSA,

03 Março 2010 | 16h16

O ministro da Saúde do México, José Angel Córdova, confirmou nesta quarta-feira, 3, o primeiro caso de mutação do vírus da gripe A (H1N1), que mostrou-se resistente ao antiviral Oseltamivir, princípio-ativo do Tamiflu, no país.

 

Veja também:

linkGoverno do Pará antecipa e já dá início à vacinação da gripe A

linkAdultos de 30 a 39 anos também serão vacinados contra gripe A

especialESPECIAL: Entenda a gripe suína     

 

A mutação foi encontrada em um bebê de dez meses de idade, que sobreviveu à doença e já se encontra em casa, no município de Ecatepec. Contudo, segundo o ministro, há outros 423 casos sob suspeita e não se descarta a possibilidade de haver outros.

 

"O vírus pode se modificar a qualquer momento e gerar graves problemas", por isso, "é importante que as pessoas sejam vacinadas para se protegerem", ressaltou.

 

Ainda de acordo com Córdova, desde o início da epidemia, em abril de 2009, mais de um milhão de pessoas passaram por tratamento com o antiviral e apenas em um caso o vírus mostrou-se resistente.

 

Para diminuir as possibilidades de resistência ao medicamento, há seis meses as autoridades mexicanas decidiram aplicar também o Zanamivir, de nome comercial Relenza.

 

Mais cedo, o Instituto de Diagnóstico e Referência Epidemiológica, após realizar alguns testes, informou que a mutação "não modifica a política de tratamento, já que é a única amostra resistente encontrada em 420 sequências, o que significa uma resistência inferior a 0,25%".

 

Até a última segunda-feira, o Ministério da Saúde registrou 71.090 casos confirmados da gripe causada pelo vírus A (H1N1), com 1.088 mortes. Já foram vacinadas 6,7 milhões de pessoas e espera-se que até o fim desta semana outras duas milhões sejam imunizadas.

Mais conteúdo sobre:
gripe A gripe suina mutaçao virus H1N1 Mexico

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.