Reprodução/CGTN
Reprodução/CGTN

Nº de casos de coronavírus chega a 20 mil na China; país transformará estádio em hospital

Mortes pela doença no país asiático aumentou para 425; governo chinês vai adaptar centros de eventos para receber 3,4 mil leitos

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2020 | 00h05

SÃO PAULO - O número de mortes pelo novo coronavírus na China aumentou para 425 e o total de infectados chegou a 20,4 mil, segundo balanço divulgado pela TV estatal chinesa nesta segunda-feira, 3.

Fora da China, o vírus já infectou 153 pessoas em 23 países e deixou um morto, nas Filipinas, de acordo com boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado também nesta segunda.

Com mais um aumento expressivo do número de casos da doença, o governo chinês anunciou que, além da construção de dois novos hospitais, transformará três centros de eventos em locais de atendimento médico. Os locais terão capacidade para 3,4 mil leitos.

De acordo com o canal estatal CGTN, serão transformados em hospitais temporários um centro de convenções, um centro de exposições e uma arena esportiva da cidade de Wuhan, onde o surto começou.

Nesta segunda-feira, começou a funcionar na cidade o Hospital Huoshenshan, o primeiro dos dois centros médicos construídos em menos de duas semanas para tratar pacientes com coronavírus. O Hospital Leishenshan, segundo a ser inaugurado, já está com 80% da obra concluída e deve começar a funcionar nos próximos dias.

Feito com base em prédios pré-fabricados, o Hospital Huoshenshan já começou a receber seus primeiros pacientes. Com capacidade para mil leitos, o complexo conta com 30 Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), enfermarias, consultórios e almoxarifados, entre outras estruturas. De acordo com a TV estatal chinesa, existe também uma ala específica de quarentena destinada aos infectados pelo vírus, para evitar o aumento de novas infecções. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.