Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Número de casos de dengue tem recorde em Ribeirão Preto

Foram 24 mil registros da doença até o fim do mês de março; incidência do vírus está entre as piores do País

Rene Moreira, Especial para O Estado

01 Abril 2016 | 21h38

A Secretaria Municipal de Saúde de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, informou nesta sexta-feira, 1º, que a cidade bateu o recorde de casos de infecção por dengue, com mais de 24 mil casos. O secretário da pasta, Stênio Miranda, disse que o registro configura a maior epidemia da história do município.

No total, foram 24.476 casos nos três primeiros meses deste ano. O recorde anterior havia sido registrado no ano de 2011. Em março deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, o aumento no número de pacientes foi de quase 800%.

O Ministério da Saúde apontou em seu boletim epidemiológico mais recente que Ribeirão Preto é a cidade do País com maior registro de dengue entre os municípios com até 999 mil habitantes. O local tem 1.335 casos por 100 mil habitantes.

A Região Sudeste é a quem tem mais notificações de infecções, com 222 mil casos. O País teve 396 mil registros até o fim de fevereiro.

A cidade teve neste ano, ainda segundo dados da Secretaria de Saúde, duas mortes por infecção pelo vírus H1N1. Foram computados 58 casos suspeitos da doença.

Segundo Miranda, a rede pública municipal tem uma quantidade adequada de medicamentos para atender os pacientes com sintomas da gripe H1N1 e deve receber um reforço do Ministério da Saúde. 

Zika. A pasta municipal forneceu também estatísticas relativas a pacientes gestantes infectadas pelo vírus zika. “Até o momento 83 tiveram confirmação de contaminação pelo zika e outras 25 foram descartadas. Não registramos nenhum nascimento de bebê com microcefalia”, afirmou Miranda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.