Nº de casos de H1N1 e de mortes pela doença dobram em 2 semanas

País registrou 444 casos de síndrome respiratória grave até ao dia 26, ante 188 no levantamento anterior

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

04 Abril 2016 | 17h23

BRASÍLIA - O número de casos de H1N1 e o índice de mortes provocadas em decorrência da doença duplicaram em duas semanas. O País contabilizou 444 casos de síndrome respiratória grave até ao dia 26. No levantamento anterior, com dados até dia 12, a marca era de 188 infecções. No mesmo período, o registro de mortes subiu de 30 para 71. Com isso, a taxa de letalidade da doença é de 15%.

Além do aumento importante do número de casos, a doença se espalha pelo País. Onze Estados registram infecções provocadas pelo vírus, dois a mais do que o registrado no boletim do dia 12 de março.

A maior parte dos casos está concentrada na Região Sudeste, com destaque para São Paulo. O Estado traz 372 registros da infecção, o equivalente a 84% do que foi contabilizado em todo o País. Em segundo lugar está Santa Catarina, com 22 casos, seguida pela Bahia (9 registros) e Paraná (com 7 casos). Pernambuco, Goiás e Distrito Federal apresentam, cada um, cinco pacientes com a síndrome. 

Minas, Ceará, Pará e Rio apresentam também o mesmo número de casos: 3 em cada Estado. No Rio Grande do Norte e em Mato Grosso, foram identificados até o momento dois casos em cada Estado. Mato Grosso do Sul traz um caso e Espírito Santo, também um registro.

Em três meses de 2016, o número de casos de H1N1 já é três vezes maior do que o contabilizado entre janeiro e dezembro de 2015. Em nota, o Ministério da Saúde informou estar acompanhando os casos de H1N1 com as vigilâncias locais.

Diante da epidemia provocada pelo vírus em São Paulo e do atípico aumento de casos provocados pela doença em outros Estados a pasta decidiu antecipar a distribuição da vacina.

 

Mais conteúdo sobre:
Região SudesteSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.