Tiago Queiroz
Tiago Queiroz

Na última semana, 18 Estados apresentaram alta de casos de covid-19 no País

Curva de casos confirmados da covid-19 voltou a subir no Brasil, com um aumento de 36% em relação à semana anterior

Sandy Oliveira, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2020 | 22h23

A curva de casos confirmados da covid-19 voltou a subir no Brasil, com um aumento de 36% em relação à semana anterior. Pelo menos 18 Estados tiveram crescimento no número de casos na última semana, segundo o Ministério da Saúde

Os maiores registros se deram em Goiás, Rondônia e Mato Grosso. Já as maiores quedas ocorreram no Amapá e Amazonas. Já nos óbitos, as elevações mais significativas foram percebidas em Rondônia, Amapá e Tocantins. Já as reduções aconteceram no Acre e no Amazonas. Com relação à curva de óbitos, o Brasil segue mantendo uma estabilidade, com novos registros diários elevados.

Questionado sobre o aumento significativo no número de casos na última semana, o secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros, explicou que o Brasil tem feito mais testes, o que repercute nesse aumento de casos. “Estamos fazendo um diagnóstico mais precoce dos casos. O programa de testagem aumentou no Brasil nas últimas semanas. Tudo isso contribui para que o número de casos aumente”, diz Medeiros. 

“A gente apresenta os dados do país todo, mas é como se tivéssemos a pandemia se comportando de forma diferente em distintos locais”, completou.  

Com 58% dos casos em localidades do interior e 42% nas regiões metropolitanas é possível perceber a interiorização dos novos casos da doença. Por outro lado, os óbitos permanecem sendo registrados, em sua maioria, nas capitais, cerca de 53% dos registros. O interior é responsável por 47% das fatalidades. 

Testes 

De acordo com o Ministério da Saúde, a média desde o início da pandemia é de 69.608 testes por semana. Apesar da afirmação do secretário de Vigilância em Saúde de aumento da testagem, o boletim epidemiológico mostra uma estabilização a partir da semana epidemiológica de número 26, com oscilação e queda na semana epidemiológica de número 30. Em relação a esta última, os representantes do Ministério argumentaram que ‘há dados a serem computados’. 

Segundo a pasta, foram distribuídos 5 milhões de testes laboratoriais (RT-PCR) e realizados 1,5 milhão na rede pública. Na rede privada, foram conduzidos 1,13 milhão de exames deste tipo, totalizando 2,67 milhões realizados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.