REUTERS/Denis Balibouse
REUTERS/Denis Balibouse

'Não só o Brasil, todos os países devem tomar medidas com base na ciência', diz OMS

Michael Ryan, diretor do programa de emergência da Organização Mundial da Saúde, afirmou que entidade tem apoiado o Brasil e outros países das Américas na luta contra a pandemia

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2020 | 15h02

Um dia após a demissão do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a Organização Mundial da Saúde (OMS) foi questionada sobre a saída do ministro e voltou a afirmar que a ciência deve basear a tomada de decisão de políticas públicas. 

"É essencial que não só o Brasil, mas todos os governos, tomem decisões baseadas em evidências e tenham uma resposta do governo inteiro e da sociedade inteira ao responder à pandemia de covid-19", afirmou o diretor do programa de emergência da OMS, Michael Ryan. 

Ryan afirmou ainda que a OMS vai focar em fornecer apoio técnico, operacional e científico ao Brasil, por meio da Organização Pan-Americana de Saúde, o escritório regional da OMS para as Américas. "(Queremos) fazer isso consistentemente, sem falhas, em apoio ao Brasil e a todos os países das Américas." A entidade afirmou que está apoiando o Brasil desde janeiro e agradeceu Mandetta pelos serviços prestados. 

Mandetta foi demitido na quinta-feira, 16, após semanas de desentendimentos com o presidente Jair Bolsonaro sobre a melhor forma para combater o coronavírus. O presidente defende acabar com as quarentenas e medidas de distanciamento social, enquanto o ex-ministro era favorável a manter a restrição de movimentação de pessoas para reduzir a disseminação do vírus da covid-19. 

Para Entender

O que é e para que serve a Organização Mundial da Saúde (OMS)

OMS cria os padrões mais importantes da área da saúde; caráter mais importante é técnico-científico

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.