Jack Pfaller/Nasa/AP
Jack Pfaller/Nasa/AP

Nasa conserta defeito e marca voo do Discovery para fevereiro

Missão para levar cargas à ISS será uma das últimas antes da aposentadoria de ônibus espaciais

IRENE KLOTZ, REUTERS

11 Janeiro 2011 | 20h46

A Nasa resolveu os problemas no tanque de combustível do ônibus espacial Discovery e marcou o lançamento para o dia 24 de fevereiro, disseram funcionários nesta terça-feira, 11.

O voo, destinado a levar cargas para a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), será um dos últimos antes da aposentadoria da frota de ônibus espaciais da agência americana. A missão estava programada inicialmente para 5 novembro do ano passado, mas foi cancelada por causa de um vazamento de combustível no tanque externo da nave.

Testes adicionais no tanque de combustível reservado para o voo seguinte, no ônibus Endeavour, devem fazer com que essa viagem subsequente seja adiada de 10 para 18 de abril.

Bill Gerstenmaier, administrador-associado de operações espaciais da Nasa, disse que ainda não se sabe se o comandante do Endeavour, Mark Kelly, embarcará na missão. Ele é casado com a deputada democrata Gabrielle Giffords, baleada no sábado no Arizona.

Kelly, capitão da Marinha dos EUA e veterano de três missões espaciais, tirou licença para acompanhar o tratamento da mulher, que continua internada em estado crítico. "Deixaremos Mark decidir o que ele precisa fazer", afirmou Gerstenmaier.

Após a descoberta de um vazamento de combustível no Discovery, os técnicos encontraram um problema ainda mais delicado: uma rachadura na espuma de isolamento térmico do tanque, item que desperta especial atenção da Nasa por ter provocado o acidente de 2003 com a nave Columbia.

A rachadura na espuma acabou levando a Nasa a descobrir outras rachaduras, na estrutura metálica subjacente. Depois de dois meses de análises e testes, os engenheiros atribuíram o problema a uma combinação de falhas de fabricação e de sobrecarga sobre o tanque na hora do abastecimento com combustível líquido supergelado, segundo John Shannon, gerente do programa de ônibus espaciais.

A solução foi instalar reforços nas vigas metálicas da estrutura. "É um conserto elegante para o problema", disse Shannon a jornalistas. "Estou muito confiante de que finalmente resolvemos isso."

A estrutura metálica de sustentação do tanque do Endeavour provém de um lote diferente, por isso Shannon acha que bastará fazer um teste de abastecimento e um exame com raios X, já na plataforma de lançamento, para liberar a nave para a decolagem.

A Nasa espera receber verbas adicionais para uma missão extra dos ônibus espaciais em meados deste ano, a fim de levar à ISS mantimentos para um ano. O tanque de combustível que está sendo preparado para essa missão provavelmente também precisará de reforços, de acordo com Shannon.

Depois que aposentar sua frota de ônibus espaciais, que começaram a voar há 30 anos, a Nasa dependerá de naves russas, japonesas e europeias para levar equipamentos e astronautas até a estação. Paralelamente, a agência começará a desenvolver um novo tipo de veículo para viagens espaciais mais prolongadas.

Mais conteúdo sobre:
CIENCIA DISCOVERY DEFEITO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.